Um dia após anunciar a volta da bandeira amarela, de restrições mais brandas na pandemia, o prefeito Rafael Greca (DEM) confia que Curitiba não vai mais voltar ao período crítico, quando foi decretado duas vezes o lockdown. Porém, garante que a capital está preparada para atender um novo pico de casos de covid-19. Após 133 dias de medidas restritivas mais rígidas, estão liberadas de funcionar na cidade a partir desta quinta-feira (8) atividades como bares, cinemas e teatros, desde que com 50% de ocupação.

LEIA MAIS

> Paraná aguarda a chegada de mais 220,9 mil vacinas contra covid-19 nesta quinta e sexta

Curitibanos com 40 anos terão que esperar chegada de novas doses, o que pode ocorrer nesta sexta-feira

Curitiba vai fechar 150 leitos de covid-19 nesta quinta-feira, confirma Márcia Huçulak

Greca afirma que com a redução nos índices de transmissão do coronavírus, Curitiba reabriu as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) para atendimento de todas as emergências, reduzindo o número de leitos exclusivos de Covid-19. Porém, enfatiza o prefeito, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) tem capacidade de reverter rapidamente esses leitos emergenciais novamente para pacientes com coronavírus se for necessário.

“Curitiba tem mais de mil leitos de covid e capacidade de reverter os leitos de UPA de um dia para outro. Portanto ninguém precisa ter medo de nada. Não vai faltar leito a ninguém”, garante o prefeito em entrevista ao jornal Meio Dia Paraná, da RPC, nesta quinta. “Inclusive, aumentamos o repasse de verba aos hospitais”, completou Greca, referindo-se ao aumento de R$ 13,2 milhões para R$ 31,2 milhões à rede hospitalar SUS da cidade.

Quarta-feira (8), a ocupação de UTIs SUS da Covid-19 estava em 81% e de leitos de enfermaria em 56%. O sistema está com 106 vagas intensivas livres e 326 de enfermaria sem pacientes.