Motoristas da empresa Sanjotur em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba, iniciaram na manhã desta quinta-feira (14) greve de ônibus por tempo indeterminado. O motivo é o atraso no salário dos funcionários que deveria ter sido pago na última sexta-feira (08). Na semana passada, a São José Filial, CCD e Tamandaré Filial tiveram atrasos no pagamento e os ônibus demoraram uma hora para deixar a garagem. Na sexta-feira (09), o acerto foi realizado.

+Viu essa? Vento em Curitiba chama atenção. Entenda o que está acontecendo

A decisão foi tomada em assembleia, com participação do Sindicato de Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região (Sindimoc). Na atividade, funcionários votaram e aprovaram o indicativo de greve. A empresa e a prefeitura de São José dos Pinhais foram notificadas sobre o ocorrido. 

Segundo o Sindicato, esta não é a primeira vez que ocorre atrasos, situação que estaria ocorrendo desde fevereiro. Em maio, houve uma negociação e os motoristas aceitaram receber o pagamento parcelado em quatro vezes durante o mês. 

Com a paralisação, mais de 10 linhas de ônibus urbanas e rurais foram atingidas e cerca de 11 mil usuários ficaram sem o transporte público nesta manhã ( ver abaixo).

A greve é por tempo indeterminado e uma nova rodada de negociação está marcada para a tarde. Em nota, a concessionária Sanjotur lamentou a paralisação e disse que deve se reunir com os trabalhadores ainda nesta quinta-feira (14). Confira a nota completa abaixo.

Confira a nota completa da Sanjotur:

A Concessionária SANJOTUR atrás de sua diretoria lamenta profundamente que nesta data tenha sido desencadeado o movimento de paralisação pelo Sindicato dos Motoristas, não obstante esteja designado para a data de hoje, às 15 horas, uma reunião de mediação coletiva de trabalho junto a Superintendência Regional do Trabalho.

É de conhecimento público e notório que desde o advento da Pandemia decorrente da Covid-19 a arrecadação tarifária da Auto Viação Sanjotur (lote 2) teve uma queda abrupta, tal como ocorre em todas as grandes cidades do Estado e também nível nacional, sendo Curitiba uma exceção por conta das medidas de implemento de subsídios por parte do Governo local.

No caso da Sanjotur, além da receita ser exclusivamente advinda da tarifa paga pelo usuário, não há qualquer tipo de subsídio, mesmo em caráter emergencial, sendo que o preço da tarifa se mantém congelado desde 2019.

A questão do desequilibrio econômico-financeiro esta judicializada tendo sido apurado em Laudo Pericial produzido na ação judicial que até o mês de maio de 2021 o déficit importa em R$ 4.272.549,70.

Infelizmente o Poder Concedente mesmo sabedor das consequências deletérias trazidas pelo desequilibrio econômico-financeiro do contrato deliberou por não tomar nenhuma iniciativa para restabelecer o equilibrio contratual, não obstante reconhecer a existência do déficit. Esperamos que as partes se sensibilizem com a atual situação e que seja encontrado uma solução ainda hoje para a retomada da integralidade dos serviços de transporte na cidade.

São José dos Pinhais, 14 de outubro de 2021.
AUTO VIAÇÃO SANJOTUR LTDA

Linhas afetadas pela greve de motoristas

  • 1010 – Cachoeira;
  • 1052 – Campo Largo Direto;
  • 1000 – Colônia Rio Grande;
  • 1005 – Col. Marcelino;
  • 1047 – Contenda Direto;
  • 1021 – Campina;
  • 1018 – Cotia;
  • 1018 A – Cotia via Campo Largo;
  • 1009 – Faxina;
  • 1012 – Jardim Carmem Parador;
  • 1003 – Jardim Itália;
  • 1002- Jardim Eldorado;
  • 1022 – Malhada/Roça Nova;
  • 1006 – Malhada;
  • 1013 – São Marcos Rápido;
  • 1051 – São Marcos Parador;
  • 1036 – São Domingos/Aristocrata;

Web Stories

Nos Tempos do Imperador

Luísa garante que Isabel escolherá Gastão

Humm!

Quatro opções de café da manhã de hotel em Curitiba

Império

Começa o desfile da Unidos de Santa Teresa

Esporte

Aprenda a jogar Tênis de graça em Curitiba