Os trabalhadores da limpeza pública de Curitiba decidiram nesta terça-feira (25) que vão aderir à greve geral marcada para a próxima sexta-feira (28). A definição ocorreu após reunião entre delegados do sindicato que representa a categoria, o Siemaco, e uma comissão de trabalhadores da empresa Cavo, que presta serviços na área para a prefeitura.

A paralisação da coleta de lixo, varrição de ruas e roçagem terá a duração de apenas um dia e deve ter início por volta das 6h30.

LEIA MAIS: Greve geral vai afetar serviços em Curitiba

O setor reúne cerca de 2,5 mil trabalhadores na capital.

Outras categorias também já informaram que vão parar os serviços na sexta-feira. É o caso de professores das redes municipal, estadual e particular, de universidades, policiais civis, servidores municipais e metalúrgicos.

…E MAIS: Greve geral em Curitiba tem adesão de mais categorias

Ato nacional

Organizado desde o mês passado, o dia de greve geral leva a assinatura de várias entidades sindicais, entre elas, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Força Sindical. O ato ganhou fôlego depois de um dia de atos nacionais realizado em 17 de março, contra as reformas trabalhista e da Previdência.

Desta vez, entram na pauta dos trabalhadores discussões sobre a lei da terceirização, sancionada com vetos pelo presidente Michel Temer (PMDB) no fim de março, bem como protestos contra as reformas trabalhista e da Previdência, que tramitam no Congresso.