Um grupo formado por 200 pequenos comércios do setor de gastronomia, entretenimento, bares, salões de beleza e lojas está pedindo para que a prefeitura de Curitiba decrete lockdown (fechamento total) na cidade. O motivo alegado tem relação com o aumento no número de infectados pelo novo coronavírus e a alta ocupação das UTIs públicas na cidade. O movimento Fechados Pela Vida queria chegar a 7500 assinaturas em um abaixo-assinado que será entregue para as autoridades do município. Porém, até a publicação desta reportagem, o número já tinha sido superado, chegando a 11,6 mil assinaturas.

+Leia mais! Liberado pagamento a novo grupo da terceira parcela do auxílio emergencial. Confira!

A ideia dos organizadores do movimento é sensibilizar os curitibanos de que o momento pede o fechamento de todos os setores, em prol da vida. Nem mesmo o protocolo adotado na cidade que passou a operar desde a última segunda-feira (15) com a bandeira laranja minimizou a intenção do grupo. Ieda Godoy, proprietária do Mafalda Café e Bistrô, no Centro de Curitiba, relata que apesar de estar tendo prejuízos com a porta fechada ao público, o momento não é de pensar somente no lado financeiro, e sim, na prioridade de salvar pessoas.

“O movimento surgiu oficialmente no dia 17 de abril. Trabalhamos em prol do controle da pandemia, pela vida. E tudo que buscamos até agora é a conscientização dos governos, assim como apoio econômico, para que nossas empresas não fechem. A sociedade em geral está ao nosso lado”, disse a comerciante.

Outros pedidos

Além de pedir o lockdown em Curitiba – que inclusive chegou a ser tratado pela secretária de saúde de Curitiba, Márcia Huçulak e também pelo secretário de saúde do Paraná Beto Preto -, o movimento Fechados Pela Vida reforça que é preciso fortalecer outros pontos importantes para a manutenção do comércio pós pandemia. Controle do transporte público, transparência de dados sobre leitos, plano econômico para sobrevivência de empresas, principalmente pequenas ou médias, profissionais autônomos e desempregados, facilitação de linhas de crédito, redução ou subsídio de tributos municipais e estaduais, auxílio para os setores de entretenimento e cultura e campanhas educativas para conscientização e educação da população em cada estágio do enfrentamento da pandemia.

Como assinar?

Para assinar o abaixo-assinado, basta entrar nas redes sociais do Fechados Pela Vida. Instagram: instagram.com/fechadospelavida
Facebook: facebook.com/fechadospelavida
Twitter: twitter.com/fechadosvida


Precisamos do seu apoio neste momento!

Este conteúdo te ajudou? Curtiu a forma que está apresentado? Bem, se você chegou até aqui acredito que ficou bacana, né?

Neste cenário de pandemia, nós da Tribuna intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise. Bora ajudar?

Ao contribuir com a Tribuna, você ajuda a transformar vidas, como estas

– Pai vende vende 1000 bilhetes de rifa com a ajuda da Tribuna pra salvar o filho
– Leitores da Tribuna fazem doação de “estoque” de fraldas para quíntuplos
– Leitores se unem para ajudar catadora de papel de 72 anos

E tem várias outras aqui!

Se você já está convencido do valor de sua ajuda, clique no botão abaixo