Sentado na cama, em frente à televisão ainda ligada, Anderson Martins Neves da Silva, 32 anos, foi encontrado morto na manhã de ontem com um tiro no rosto. Ele já esteve preso e policiais da Delegacia de Homicídios (DH) acreditam que o assassino estava junto com a vítima horas antes do crime.

Por volta das 5h, moradores da Vila Tripa ouviram o tiro e chamaram a Polícia Militar. Ninguém descobriu de onde veio o disparo e a polícia foi embora. Às 7h, os vizinhos descobriram o crime ao entrar na casa de Anderson, à beira de um córrego no final da Travessa Quatro, continuação da Rua Guilherme Scroccaro, Tatuquara.

Pistola

A porta da residência não tinha sinais de arrombamento. Perto do corpo, peritos do Instituto de Criminalística apreenderam uma única cápsula de pistola calibre 380. A posição do corpo e a televisão ainda ligada indicam que Anderson não teve tempo de reagir.

O delegado Cristiano Quintas, da DH, acredita que o assassino estava junto com a vítima dentro da casa, antes do crime. A carteira de Anderson foi encontrada no córrego, sem dinheiro. Nela estava guardado um alvará de soltura. Anderson foi preso em 2001 por tráfico e porte de arma, fugiu do 13.º DP e foi preso novamente em 2005, por posse de drogas.