Acompanhado de seu advogado, um rapaz, de 20 anos, chamado Kelvin assumiu, na Delegacia de Homicídios, ser o responsável pelo tiro que atingiu um menino, de 13 anos, no braço e no peito, na noite de domingo, na Vila Uberlândia, Novo Mundo. Ele alegou que o disparo foi acidental.

O delegado Roberto Fernandes contou que a vítima e um adolescente estavam na casa de uma mulher, que municiava uma pistola. “Kelvin pegou a arma da mão dela e a pistola disparou. Ele mesmo levou o garoto ao hospital”, disse o delegado.

Kelvin, que não tem passagem pela polícia, segundo o delegado, foi liberado após prestar depoimento e será indiciado por tentativa de homicídio. O garoto continua internado no hospital em estado grave. Investigadores estiveram ontem na Vila Uberlândia na tentativa de encontrar as duas testemunhas e confirmar a versão de Kelvin, porém ninguém foi encontrado.