Tarcizio Faria Martins, 22 anos, morreu tentando parar o próprio carro, que era conduzido por outra pessoa, na manhã deste sábado (11), no Parolin. A equipe da Delegacia de Homicídios acredita que ele foi vítima de um latrocínio.

Moradores da Rua Piauí se assustaram com o barulho de um carro rodando no meio da pista, na esquina com a Rua Bahia, pouco depois das 10h, e pensaram que era um acidente. Quando olharam pela janela de casa, viram dois rapazes saírem correndo de dentro do Corsa prata CUA-5710, carregando um pacote amarelo.

Dentro do carro, Tarcizio estava morto no banco do passageiro. Ele levou um tiro no peito, e estava com o pé próximo ao pedal do freio, indicando que provavelmente foi ele quem fez o carro rodar na pista enquanto outra pessoa dirigia. Uma mancha de sangue foi encontrada na lataria do carro, perto da porta do motorista. A polícia acredita que Tarcizio lutou com o atirador, que fugiu ferido.

Tarcizio morava na Cidade Industrial de Curitiba e era o proprietário do carro. O delegado Dirceu Schactae, da Delegacia de Homicídios, vai ouvir familiares e amigos dele para saber onde ele estava antes de ser assassinado. A principal linha de investigação é de que Tarcizio reagiu ao roubo do carro.