Até o fim de 2020, o Hospital do Trabalhador deve contar com um novo ambulatório de especialidades médicas, que vai ampliar a capacidade de 8 mil para 25 mil consultas por mês no local. A licitação para as obras foi assinada nesta segunda-feira (4), pelo governador Ratinho Jr, e ao todo, serão investidos R$ 8,8 milhões pelo Governo do Estado.

O novo centro será erguido na área da antiga farmácia especial, que funcionou até 2017 na Avenida Presidente Kennedy, no bairro Portão. O espaço passará dos atuais 635 metros quadrados para 3.163 metros quadrados para abrigar 42 consultórios, ampla sala de espera e sala de raio-X. Após a inauguração, o atual ambulatório, com 13 consultórios, que funciona dentro do Hospital do Trabalhador será desativado.

+Leia também: Pais e professores protestam contra mudança nas regras das creches mais uma vez

Demanda grande

De acordo com o Secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, a incorporação do centro de especialidades ao Complexo Hospital do Trabalhador (CHT) permitirá atender de forma especializada e otimizada, reduzir os custos com os setores administrativos, agilizar os processos de compra, facilitar as transferências de pacientes e melhorar a utilização dos equipamentos. “Esta é uma ampliação enorme que nos permite atender mais e melhor com os recursos que já existiam.”, afirmou.

De acordo com o diretor-superintendente do Complexo Hospital do Trabalhador, Geci Labres de Souza Júnior, a mudança do ambulatório de especialidades representará um alívio na sobrecarga na organização do hospital. Segundo ele, o local será ocupado por centros administrativos e alas de convivências. “A procura é cada vez maior e não tínhamos mais condições estruturais para atender. Essa nova unidade, em uma área nobre da cidade, é um grande avanço que nos permitirá inclusive ampliar os atendimentos”, explicou o diretor.

+Leia também: Mais de 20 milhões de brasileiros têm dinheiro pra receber no Paraná

Complexo

De acordo com o Governo do Estado, a incorporação do Ambulatório Médico de Especialidades da Kennedy consolida o Complexo Hospitalar do Trabalhador como o maior polo público de atendimento de saúde do Paraná e referência no País. Compõem ainda o complexo o Centro Hospitalar de Reabilitação Ana Carolina Moura Xavier (CHR) e o Centro de Atendimento Integral ao Fissurado Lábio Palatal (Caif). Essas eram as principais estruturas públicas da secretaria estadual da Saúde em Curitiba.

O Centro Hospitalar de Reabilitação acrescentou 70 leitos de enfermaria e 10 leitos de UTI ao Hospital do Trabalhador, que já possuía 172 leitos de enfermaria e outros 40 de UTI (adulto, neonatal e pediatria).

O governador ressalta que, ao integrar o Hospital do Trabalhador, o centro de reabilitação passou de 37 cirurgias por mês para 217 em outubro, podendo chegar a 400 até o fim deste ano. “É uma unidade importante para Curitiba e que agora pode ajudar a diminuir a fila de espera de alta complexidade”, disse.

Pelo menos 20 vagões descarrilam em grave acidente na Grande Curitiba