A psicóloga Daniela Ribeiro Matheus, suspeita de ter atirado frutas congeladas contra a Marcha da Família no último domingo em Curitiba, ferindo uma uma idosa de 73 anos, pagou fiança e foi colocada em liberdade provisória. Segundo a defesa da psicóloga, a idosa que chegou a ser hospitalizada e levou pontos na cabeça não foi atingida por nenhum objeto e caiu sozinha após tropeçar. A Justiça determinou sigilo sobre as investigações do caso.

LEIA MAIS – Frutas jogadas do 13.º andar ferem idosa em manifestação em Curitiba; uma mulher foi presa

Em nota encaminhada à Gazeta do Povo, a advogada Juliana Bertholdi afirma que Daniela é inocente e que vai demonstrar nos autos que as alegações feitas contra ela são falsas. “No dia de ontem foram anexados aos autos vídeos feitos por vizinhos em que fica claro que a senhora não fora atingida por qualquer objeto; parece, do vídeo, que a senhora tropeça e busca amparo em um colega de passeata, sem sucesso, caindo ao chão. Destaca-se que não há provas de que qualquer objeto tenha atingido a senhora Eva, ou mesmo que Daniela seja responsável por tais objetos”, afirma a nota. (Assista ao vídeo abaixo)

O texto encaminhado pela advogada de Daniela aponta ainda que a psicóloga “vem sofrendo todo tipo de ofensas na internet, que a atribuem a pecha de criminosa e militante violenta, o que é de todo inverdade”. A defesa “lamenta a falta de serenidade com que o caso tem sido tratado” e está segura de que “a verdadeira índole da Sra. Daniela restará demonstrada nas próximas horas ou dias: uma psicóloga sem qualquer passagem criminal, mãe de três filhos, sem qualquer anotação que desabone sua conduta”. Por fim, a defesa reforça na nota que “eventuais crimes contra a honra de Daniela serão analisadas pela sua equipe jurídica e não passarão impunes”.

VIU ESSA? Vereador lamenta morte do pai e lembra que ele usava e defendia o kit covid

No próprio domingo, Daniela Ribeiro Matheus foi presa e autuada por tentativa de homicídio, suspeita de ter atirado as frutas congeladas e um saco de gelo contra os participantes da Marcha da Família Cristã pela Liberdade. O caso ganhou repercussão nas redes sociais, com vários vídeos retratando o atendimento à senhora ferida e a entrada da Polícia Militar no prédio de onde foram arremessadas as frutas congeladas.

Veja, abaixo, vídeo divulgado pela defesa de Daniela, extraído do Twitter, que mostra o momento da queda da idosa.