O aterro sanitário que está para ser instalado em Mandirituba, Região Metropolitana de Curitiba (RMC), passa por um verdadeiro imbróglio. Na última terça-feira (9), os nove vereadores do município derrubaram o decreto municipal 201/09 que autorizava o município a receber o lixo de outros locais da RMC.

De acordo com o diretor legislativo da Câmara de Mandirituba, Irivan de Jesus Ferreira, a medida inviabiliza a instalação do aterro da empresa Cavo. “Os moradores protestaram para que esse aterro não fosse construído”, afirma.

O prefeito da cidade, Antonio Macial Machado (PDT), considera a atitude dos vereadores um “ato democrático”. “Se eles [a Cavo] apresentarem um projeto realmente interessante, não vejo problema algum em conversar”, admite. Por meio de nota, a Cavo informa que “tem a anuência do município para a instalação do empreendimento desde 2002” e que está “em conformidade com a legislação ambiental”.