A madrugada deste sábado (6) foi movimentada em Pinhais, região metropolitana de Curitiba, por conta de não apenas um, mas dois acidentes envolvendo trens e carros, em regiões muito próximas e com um intervalo de apenas aproximadamente duas horas e meia.

O primeiro aconteceu por volta das 23h30 da sexta-feira (5), na Avenida Ayrton Senna, esquina com a Rua Uganda, quando um Fiat Uno Way foi arrastado por aproximadamente 100 metros por um trem e acabou deixando dois feridos, o motorista, um homem de 22 anos, e uma mulher de 23. Os dois foram atendidos e não tiveram nenhuma lesão grave. O rapaz teve apenas ferimentos leves, enquanto ela acabou sofrendo uma fratura do fêmur e ferimentos na cabeça, mas ambos foram encaminhados para o Hospital Cajuru em seguida.

Já o segundo acidente ocorreu perto das 2h de sábado, em outra linha ferroviária, na Rodovia João Leopoldo Jacomel, que liga Pinhas e Piraquara, quando um Chevrolet Kadett, que transportava dois homens, foi arrastado por outro trem. O veículo vinha de Piraquara em direção a Curitiba e colidiu com o trem pelo lado do motorista, de 27 anos, que ficou preso nas ferragens. Cerca de 45 minutos depois do acidente, ele foi retirado do carro e levado ao hospital, com lesões no tórax, mas sem risco de morte. O passageiro, que não teve a idade divulgada, saiu rapidamente do carro e foi encaminhado para o hospital apenas com escoriações.

Kadett foi completamente destruído após colisão com trem. Foto: Ricardo Brejinski
Kadett foi completamente destruído após colisão com trem. Foto: Ricardo Brejinski

Coincidência chama a atenção

“As situações dos acidentes foram praticamente as mesmas, a colisão do trem com o veículo que estava atravessando a pista. As duas ocorrências foram semelhantes, com duas vítimas, mas no segundo caso a vítima que estava do lado não colidido conseguiu sair e foi atendida rapidamente, mas a outra vítima estava enclausurada e o resgate foi um pouco mais trabalhoso. Mas ela saiu consciente, orientada e passa bem”, explicou o 1º Tenente do Corpo de Bombeiros Alisson Rocha, ressaltando que os acidentes aconteceram com trens e maquinistas diferentes.

A coincidência, no entanto, chamou a atenção de bombeiros e policiais que fizeram o resgate. Pouco tempo depois que o primeiro resgate foi concluído, um novo chamado aconteceu. Ao repassarem que já haviam socorrido as vítimas, viram que se tratava de um outro acidente. “Em virtude do outro acidente, algumas linhas ferroviárias acabaram congestionando, mas os acidentes aconteceram em pontos e pistas diferentes”, acrescentou Rocha.

Atenção redobrada

Acidentes envolvendo trens e carros não são novidades, principalmente na Rodovia João Leopoldo Jacomel, onde já ocorreram mortes e protestos por conta da frequência das batidas. Por ser um veículo mais pesado e que não tem como desviar, o trem sempre tem prioridade no cruzamento.

“Na região, onde uma linha ferroviária cruza a cidade, com vários pontos de cruzamentos desta linha, não é muito difícil de acontecer uma situação como essa. O recomendável é ter atenção redobrada, principalmente do motorista, que no impacto com o trem pode ser grave a lesão. Por isso, é preciso parar e observar os dois lados antes de fazer a travessia”, disse o tenente.