Duas testemunhas do Caso Daniel foram ouvidas nesta terça-feira (26) em Foz do Iguaçu, região Oeste do Paraná. Uma das depoentes, que tem apenas 17 anos e é prima de Cristiana Brittes, contou uma história nova, que não ainda mencionado durante a investigação. Segundo a jovem, ela encontrou com Daniel dentro do quarto de Edison Brittes Jr e Cristiana, momentos antes dele ter enviado o polêmico áudio para um grupo de amigos.

“Desci para ir ao banheiro, que estava ocupado. Então como sou da família, tinha a intimidade de ir no banheiro do casal. A Cristiana tava ‘desmaiada na cama’, dormindo… e fui fazer xixi. Alguém entrou no quarto. Achei que era o Júnior e falei para não entrar que eu estava no banheiro, mas ele continuou vindo. Quando vi não era ele, mas sim o Daniel. Ele parou na porta e ficou me olhando por uns 3 segundos. Eu perguntei o que ele fazia ali, já que a festa era lá fora”, contou a jovem.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Quando saiu, questionou Daniel sobre sua presença no quarto. “Perguntei o que ele estava fazendo e ele disse que precisava ir no banheiro. Ai falei ‘o que eles iam pensar se te pegaram aqui’. Ele disse que estava ciente, que eu tinha namorada e que ela era casada. Então eu disse tudo bem. Ele falou que ia usar o banheiro e ia sair. Eu falei ‘tá bom’ e pedi para ele fechar a porta quando saísse”.

+ Leia também: Dalledone pede adiamento de habeas corpus de Allana Brittes

Ainda no depoimento, ela contou que foi assediada pelo jogador quando estava na casa. “Ele foi lá espiar. Ela estava fazendo uso do banheiro e ele permaneceu na porta, vendo que ela estava dento do banheiro, minutos antes daquele áudio que ele mandou que falava que ‘tinha uma novinha dormindo e uma coroa dormindo. Que o namorado dela não estava e o marido da outra também não”, disse o advogado Renan Pacheco Canto, advogado da família Brittes. “Ela retrata exatamente o que foi dito no áudio, que minutos depois foi enviado e aconteceu o entrevero”, acrescenta em entrevista ao Meio Dia Paraná, na RPC TV.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Questionada sobre ter ajudado a limpar o sangue de Daniel espalhado pela casa, a jovem disse apenas que pegou a mangueira, fez um movimento com ela como se fosse limpar algo, e a fechou. A defesa dos Brittes tenta desqualificar a acusação de cooptação de menores imposta a todos seus clientes. “Não houve cooptação de menor. Ela foi convidada para ir para a festa, foi de Foz para Curitiba com o namorado, dormiu lá e permaneceu lá. Muito natural”, disse Canto.

A audiência de instrução do Caso Daniel será retomada no dia 1° de abril. Na semana passada foram ouvidas as testemunhas de acusação durante três dias de depoimentos no Fórum de São José dos Pinhais. A audiência vai definir se as acusações serão mantidas e se os réus vão a juri popular. Sete pessoas foram responsabilizadas e acusadas de participação na morte do jogador, em outubro do ano passado.

Preso suspeito de matar quatro pessoas da mesma família com golpes de enxada