O Instituto Beija-Flor (IBF), instituição fundada há 10 anos na cidade de Colombo, na região Metropolitana de Curitiba, está com inscrições abertas para crianças e adolescentes interessados em aprender música erudita e popular brasileira. Os selecionados irão participar de aulas gratuitas com o objetivo de formar uma Orquestra de Cordas.

Como pré-requisito, é necessário ter entre 7 e 15 anos de idade, residentes em Colombo e região. Os pais devem entrar em contato com Tatianne Bernardo de Brito, assistente social do IBF, pelo whatsapp (41) 99892-0075.

A mentoria do projeto é do músico Goio Lima, que é parceiro do IBF e já atuou ao lado de nomes como João Donato, Ivan Lins, Paulo Jobim e Toninho Horta. Saxofonista, arranjador, produtor, compositor e educador musical, Goio Lima acredita que a música é uma forma de transformar a percepção de mundo e proporcionar a inclusão de crianças e adolescentes ao meio social e cultural.

+ Leia mais: Liberdade, conforto e trabalho remoto: Motorhome vira queridinho dos curitibanos de todas as idades

A visão dele é apoiada pela fundadora do IBF, Neide Sosvianin. “Aprender a tocar um instrumento musical ajudará no desenvolvimento de habilidades que servirão para a vida toda, como disciplina e foco. A criação de uma orquestra irá favorecer ainda o trabalho em equipe dos participantes. Nós esperamos que o desempenho escolar destas crianças e adolescentes também seja influenciado de forma positiva”, comentou sobre o início da Orquestra de Cordas.

As aulas são para Violino, Violoncelo e Violão, e serão ministradas pelos professores da música. O Instituto Beija-Flor já realiza atividades musicais e de desenvolvimento humano. As atividades musicais são realizadas através do projeto “Aprendizes de Beija-Flor” onde os atendidos aprendem a tocar instrumentos eruditos e populares. O desenvolvimento da musicalidade e difusão da música erudita acontece através do projeto “Coral Sabiá”. Paralelamente a este viés musical é por meio do projeto “Eu no Mundo” que realizamos atividades de estimulo ao desenvolvimento humano.

Instituto Beija-Flor

Instituto já ministra aulas no contraturno escolar. Foto: Divulgação

O IBF foi criado em 2010 com o objetivo de favorecer o desenvolvimento do cidadão e contribuir para transformar, se não o mundo, o futuro de crianças e famílias atendidas pela instituição, assim como todos aqueles que os cercam. Isto é realizado com a prestação de apoio às crianças e adolescentes que se encontram em situação de risco e/ou vulnerabilidade social, garantindo a eles atividades com valores humanos e formação continuada. A proposta é gerar estímulos no contra turno escolar e promover a inclusão sociocultural, evidenciando a ética, a paz, a cidadania, a democracia e outros valores universais.

+ Veja também: Universidade do Paraná é vendida para grupo de SC em negociação bilionária

O Instituto Beija-Flor nasceu da vontade do casal Sergio e Neide Sosvianin, inspirados na irmã de Neide, Maria de Lourdes (in memoriam), em ajudar os menos favorecidos. Maria de Lourdes deixou registrado em uma carta, enviada aos irmãos, o desejo de contribuir e solicitou apoio para a fundação de uma Organização Não Governamental (ONG). A semente plantada no coração dos irmãos levou 20 anos para frutificar até a criação do IBF.

Estrutura

O Instituto Beija-Flor é uma associação sem fins lucrativos, com sede própria situada em Colombo com contrastes sociais e econômico relevantes. O perfil populacional do município demanda ações permanentes para reduzir a desigualdade e oferecer oportunidades, principalmente às crianças e adolescentes residentes nesta região. A sede do IBF ocupa uma área de 1.700 m² na Avenida João Batista Stocco, nº 306, Planta Bom Jesus, bairro Guaraituba. O espaço foi planejado para atender crianças e adolescentes de 06 a 15 anos.

+ Veja também: Sabores da Itália, Polônia, Alemanha e mais: confira os lanches do Festival de Etnias Gastronômico de Curitiba

A construção foi realizada com recurso de patrocínio do Grupo Antares, responsável pelas empresas Versátil Andaimes e Veloplastic Embalagens, que compreendem seu papel perante a sociedade e entendem a importância de apoiar projetos dedicados a transformar o futuro dos assistidos.