Um homem suspeito de ter participado do ataque a uma transportadores de valores em Guarapuava, na região central do Paraná, morreu após trocar tiros com a Polícia Militar em Ponta Grossa, nos Campos Gerais. O confronto ocorreu durante a Operação Parador 27, que cumpria mandados de busca e apreensão na cidade.

Segundo a Polícia Militar a troca de tiros entre o suspeito e os policiais foi durante o deslocamento para os cumprimentos dos mandados de busca e apreensão. “As equipes depararam com um elemento suspeito da participação nos acontecimentos no município de Guarapuava e, na tentativa de o abordar houve a reação, vindo o elemento a sacar uma arma de fogo do tipo pistola de calibre 765mm, efetuando disparos em direção aos militares, havendo então um confronto, no qual o cidadão foi alvejado”, disse a organização em nota.

Na casa do suspeito foram encontrados drogas, balança de precisão e dinheiro. Já a operação, em si, apreendeu armas, munições, rádios comunicadores e entorpecentes.

Caos em Guarapuava

O ataque levou terror a Guarapuava na madrugada do dia 18 de abril e a crise gerada pela ação brutal derrubou o comandante da cidade e o secretário de segurança pública do Paraná, Rômulo Marinho. Na ocasião o policial Ricieri Chagas morreu após ser atingido por tiros.