Pouco mais de nove meses após o assassinato da empresária Clemans Abujamra, morta com 12 facadas, a Polícia Civil prendeu ontem dois acusados do crime: a irmã dela, Cristiane Abujamra, 48 anos; e o sobrinho, Arnold Vianna, 18 anos. De acordo com a delegada Maritza Haisi, a ação não foi premeditada. As desavenças entre as irmãs vinham desde a infância.

Clemans saiu de casa em 26 de abril para ir até a casa de sua irmã. O corpo dela foi encontrado três dias depois, em um terreno baldio no Campina do Siqueira. Segundo Maritza, duas provas importantes para o indiciamento dos suspeitos foram os depoimentos de dois taxistas. Um deles levou os dois com a mala, onde estaria o corpo de Clemans, até as proximidades do terreno baldio; e outro pegou-os naquela região, por volta das 5h30, para leva-los ao prédio de Cristiane.

Herança

Divulgação/DH
Arnold, filho de Cristiane.

A investigação até agora aponta que o crime não foi premeditado. Segundo a delegada, existem especulações de que a motivação seria financeira. “O mau relacionamento entre as duas seria motivado por possível herança do pai, que foi assassinado quando elas eram crianças”, completou Maritza.

Cristiane e Arnold negaram à polícia a autoria do crime. A irmã de Clemans está presa no Centro de Triagem I, e Arnold, na Delegacia de Homicídios. O marido de Clemans, Roberto Nanamura, confirmou que a esposa e a irmã tinham desavenças, mas não quis dar detalhes sobre o assunto. “Ela era uma pessoa muito simpática e alegre. Esse final não condiz com a vida dela. Espero que os culpados sejam condenados”, comentou.