A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Paraná (Abrasel) não ficou satisfeita com a prefeitura de Curitiba que determinou na sexta-feira (04) via decreto 1640/2020, que restaurantes só podem manter utilizar o sistema delivery aos domingos. Alguns restaurantes da capital se organizam para realizar um protesto neste domingo, utilizando o sistema drive-thru, que está proibido pelas novas regras.

No entanto, no final da tarde deste sábado, a Abrasel comunicou que foi informada pela diretora da Secretaria da Saúde de Curitiba, Beatriz Batistella, que as vendas por drive-thru estão liberadas já neste domingo.

+ Leia mais: Em um mês, número de mortes por dia pelo coronavírus sobe 5 vezes em Curitiba

Com o aumento no número de casos e mortes em virtude da covid-19, a prefeitura de Curitiba ampliou as medidas restritivas de circulação de pessoas e funcionamento de atividades. No novo decreto, restaurantes e lanchonetes podem funcionar das 6 às 22 horas, de segunda a sábado, inclusive na modalidade de atendimento de buffets no sistema selfservice. Aos domingos, apenas o atendimento delivery. Anteriormente a prefeitura alegava que o drive thru não evita que as pessoas saiam de suas casas.

No entanto, segundo os comerciantes, o drive thru é um sistema seguro de entrega de comida e reforça o caixa das empresas. Após reuniões internas, a Abrasel-PR decidiu procurar a prefeitura neste sábado (05) para conseguir a liberação para este domingo. Nelson Goulart Júnior, presidente da Abrasel-PR, relatou que o diálogo foi a primeira opção para ajudar os restaurantes, que aprece ter surtido efeito. O representante da entidade não descartava procurar a Justiça caso não tivesse o pedido atendido pelas autoridades.

+ Leia também: 13“Temos dinheiro separado para comprar vacinas”, anuncia Greca contra a covid-19

“Domingo é o dia de maior arrecadação dos restaurantes que não são de selfservice e estamos seguindo dois caminhos. O diálogo com a prefeitura, com o vice-prefeito Eduardo Pimentel, e com a Beatriz Battistella, superintendente executiva da secretaria municipal da Saúde para que se permita o drive-thru” disse. “O outro caminho era entrar com um mandado de segurança para o drive thru. Qualquer juiz vai entender isto, pois este sistema diminui a chance de contaminação”, disse o presidente da associação.

Resistência

Alguns comerciantes de maneira espontânea prometeram funcionar no sistema drive thru neste domingo, anunciando a pública intenção de infringir o decreto.

Questionado pela reportagem da Tribuna do Paraná sobre esta manifestação, o presidente da Abrasel-PR preferiu não comentar muito sobre o tema e reforçou que se trata de um movimento de resistência e não de protesto diante da determinação municipal.

“Eu chamo isto de resistência e não de protesto, mas tudo depende do que vai acontecer hoje. Conheço pessoas que irão operar o drive-thru com ou sem o mandato de segurança e tem pessoas que não irão utilizar este sistema. Isto vai do livre arbítrio de cada um. Só reforço que a segurança da saúde não vai ser afetada, daria um pequeno folego para os restaurantes. Não acredito que o prefeito Rafael Greca queira causar um prejuízo tão grande para a cidade. O drive thru é um tubo de oxigênio para os comerciantes”, afirmou Nelson Goulart.