Morreu, no início da noite deste sábado (29), aos 74 anos, o jornalista e colunista político Fábio Campana. Ele foi vítima das complicações causadas pela covid-19. Campana estava internado no Hospital Nossa Senhora das Graças, em Curitiba. Campana foi colunista na Tribuna do Paraná.

Fábio Campana era jornalista e escritor. Diretor da editora Travessa dos Editores. Editor das revistas Et Cetera e Ideias. Publicava colunas em uma rede de jornais do interior do Paraná, entre eles a Tribuna do Norte, e fez comentários políticos diários na rádio CBN Cascavel.

Foi secretário de Comunicação Social da Prefeitura de Curitiba e secretário de estado da Comunicação Social em três governos. Editor da extinta revista Atenção. Editor do extinto Correio de Notícias. Colunista político dos jornais Gazeta do Povo, O Estado do ParanáTribuna do Paraná e Gazeta do Paraná. Foi comentarista das rádios BandNews e Banda B.

Fábio Campana nasceu em 1947 no município paranaense de Foz do Iguaçu. Publicou Restos Mortais, contos (1978), No Campo do Inimigo, contos (1981), Paraíso em Chamas, poesia (1994), O Guardador de Fantasmas, romance (1996), Todo o Sangue (2004), O último dia de Cabeza de Vaca (2005), Ai (2007) e A Árvores de Isaías (2011)Vive em Curitiba desde 1960.