Conversa entre amigos foi interrompida à bala, na noite de domingo, no centro de Piraquara. O auxiliar de produção Renan Guilherme de Oliveira, 18 anos, estava no estacionamento da prefeitura, na Avenida Getúlio Vargas, acompanhado de colegas, quando três homens se aproximaram e um deles atirou. Segundo a polícia, briga entre gangues é o motivo do crime.

O superintendente Helio Pereira, da delegacia de Piraquara, revelou que o assassino é conhecido como “Pulga”. Ele descarregou o revólver calibre 38 em Renan, que foi atingido por cinco tiros na cabeça, pescoço, peito e costas. O Siate foi acionado, mas quando chegou ao local do crime o rapaz já estava morto.

Pereira informou que Renan fazia parte do “Comando da Cohapar” (CDC) e, há alguns meses, a gangue agrediu “Pulga” que integra o “Comando Santa Maria” (CSM). As duas gangues, segundo o policial, também são rivais do “Comando Vila Rosa” (CVR) e brigam entre si por território.

Desde então, Renan, que não tinha passagem pela polícia, estava jurado de morte. A ameaça foi cumprida por volta de 23h20 de domingo. “Pulga” e outros dois comparsas cruzaram com o pessoal do CDC no estacionamento da prefeitura.

Para se vingar, o autor foi até Renan e descarregou o revólver. “Os amigos da vítima não foram atingidos, indicando que o alvo era mesmo o rapaz”, contou Pereira. Após descobrir o nome completo de “Pulga”, a polícia deverá solicitar à Justiça a prisão do suspeito.