O jovem Erick Ismael da Silva, 18 anos, – portador da Síndrome de Lennox e cuja história já foi contada e é acompanhada pela Tribuna desde 2014 – precisa arrecadar dinheiro para se manter vivo. A mãe dele, Dalvana Correia da Silva, 35 anos, abriu mais uma rifa de uma centrífuga de frutas e falou com a reportagem, nesta quinta-feira (14), pedindo apoio na divulgação. A promoção de rifas é uma das formas de arrecadar um dinheiro extra para manter a sua Unidade de Terapia Intensiva (UTI) instalada em casa. A rifa é daquelas em que escolhe um nome próprio. O valor de cada nome é R$ 10.

LEIA TAMBÉM:

>> Curitibana que distribui amigurumi a crianças do Hospital Erastinho pede doação de fios para ampliar doações

>> Diarista de Curitiba inova no plano de negócio e bomba nas redes sociais

Dessa vez, a necessidade da arrecadação é para a compra da bateria do monitor da UTI, que é trocada todo ano, e para um sensor dos equipamentos. “O sensor está R$ 450 e a bateria R$ 1.050. O ganhador da rifa anterior, que era dessa centrífuga, me doou ela novamente. Tenho um valor reserva e, juntando com o dessa nova rifa, consigo fazer tudo enquanto ele está internado”, explica a Dalvana Correia.

A mãe também conta que o Erick não está em casa. O jovem foi novamente internado na UTI do Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba. “Erick está internado em estado grave. Também peço oração pelo meu pequeno. Teve choque séptico. O quadro dele inspira cuidado”, desabafa a mãe.

Ainda segundo ela, os gastos com tudo que o jovem precisa ultrapassam R$ 2,8 mil por mês. “Em abril, estava em torno de R$ 2,3 mil, mas a pandemia só faz as coisas aumentarem”, explica. A mãe conta que é uma superação o Erick ter chegado aos 18 anos de idade. “Desafiando tudo o que os médicos falaram, ele fez 18 anos em maio”, orgulha-se a mãe.

Leia mais sobre o caso do jovem Erick

O caso do menino é acompanhado pelos Caçadores de Notícias há sete anos, desde 2014. Erick nasceu com paralisia cerebral e, por causa disso, vários outros problemas e doenças foram surgindo no meio do caminho, como a microcefalia, a Síndrome de Cush e a Síndrome de West. O jovem continua surpreendendo com sua força e recuperação, até mesmo quando suas condições de saúde pioram bastante.

Família de Erick precisa de ajuda para seguir com tratamento vital para o jovem. Foto: Arquivo Pessoal.

Como colaborar?

Mais detalhes sobre as rifas e sobre como ajudar podem ser obtidos em contato com a família pelos telefones (41) 99546-6503 e (41) 98870-4358. Também é possível fazer doações diretamente na conta bancária, Pix e PicPay da mãe do Erick.

Caixa Econômica Federal: 

lvana Correia da Silva

Agência 4744

Conta Poupança 1288.000812904596-4

O Pix é o CPF: 060.565.959-19

Tem também o PicPay: @dalvana.correia.silva

Web Stories

Nos Tempos do Imperador

Luísa garante que Isabel escolherá Gastão

Humm!

Quatro opções de café da manhã de hotel em Curitiba

Império

Começa o desfile da Unidos de Santa Teresa

Esporte

Aprenda a jogar Tênis de graça em Curitiba