O júri popular do réu Carlos Eduardo dos Santos, acusado de matar a menina Rachel Genofre em 2008, foi marcado para o dia 12 de maio desse ano. Carlos Eduardo foi apontado como autor do assassinato em 2019 e confessou o crime a polícia. Ele está preso e será julgado por homicídio qualificado mediante meio cruel e ocultação de corpo.

O caso de Rachel Genofre, de apenas 9 anos, comoveu a sociedade. O corpo dela foi encontrado dentro de uma mala na Rodoviária de Curitiba, com sinais de estrangulamento e violência sexual. A menina havia desaparecido após sair da escola onde estudava, no Centro de Curitiba, em novembro de 2008.

LEIA TAMBÉM:

>> “Chefão do crime” que estava foragido é preso em restaurante de luxo em Curitiba

Somente após onze anos é que exames de DNA conseguiram identificar o então réu, que confessou o crime depois que foi localizado. Ele cumpre pena de 25 anos por outros crimes. Carlos Eduardo disse que seguia a vítima e que a abordou no caminho da escola. Atualmente, o réu está em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba.

O advogado de defesa da família de Rachel Genofre, Daniel da Costa Gaspar, disse que a confirmação da data do júri popular foi recebida com grande emoção. “Estamos caminhando para o final desses longos anos de espera. A Justiça paranaense vai poder finalmente fazer justiça nesse caso, condenando Carlos Eduardo. A família vai poder dormir em paz”, revelou.

Roberto Neves, advogado do réu Carlos Eduardo, disse que recebeu a informação da data do júri com tranquilidade. “O Carlos Eduardo, nunca foi a intenção dele fugir de suas responsabilidades. Acredito que o conselho de sentença vai proferir um julgamento justo”, disse.