O Ministério Público teve seu pedido de interrupção das obras da Praça do Japão negado pela 5ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, nesta segunda-feira (5). A juíza Patrícia de Almeida Gomes Bergonese entendeu que a administração municipal cumpriu com as formalidades legais do processo e decidiu pela continuidade das obras que vão permitir a implantação do ligeirão norte-sul, que passará pelo local.

Segundo a magistrada, a interrupção das obras “poderia ocasionar prejuízos, não somente ao projeto que está sendo implantado e que visa diretamente o benefício da população, mas também ao cofre público municipal, eis que já foram empregados mais de 16 milhões de reais na obra de implantação”.

A nova linha deve entrar em funcionamento em março e vai beneficiar, segundo a prefeitura, cerca de 36 mil passageiros por dia, que terão o tempo de viagem cortado pela metade entre o terminal do Santa Cândida e o Batel. Serão 25 biarticulados percorrendo a linha diariamente.

A prefeitura garante que as obras não vão descaracterizar a praça, e que apenas uma parte da feirinha terá que ser deslocada para a abertura de um trecho de 30 metros de rua no local.