A demora na conclusão da Linha Verde em Curitiba pode virar alvo de investigação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). A possibilidade foi levantada pelos deputados estaduais Goura (PDT) e Galo (Pode) em sessão de terça-feira (27), na qual foram ouvidos moradores do entorno das obras do eixo norte da Linha Verde.

“Moradores relatam a completa falta de diálogo com a prefeitura. Eles não sabem o que vai acontecer, quais as obras serão feitas, está uma situação terrível”, apontou o deputado Goura em sessão da Assembleia.

LEIA MAIS SOBRE A LINHA VERDE

A Linha Verde está em construção há 15 anos. Obra mais demorada da história da prefeitura, iniciou em 2006 no primeiro mandato do ex-prefeito Beto Richa (PSDB) em 2006, passou pelas gestões de Luciano Ducci (PSB) e Gustavo Fruet (PDT), e já teve a data de conclusão alterada duas vezes só na atual gestão do prefeito Rafael Greca (DEM).

“Vamos cobrar da prefeitura um cronograma de obras e quais são as intervenções pendentes. Também vamos pedir mais segurança, além da sinalização viária temporária. A conclusão das obras da Linha Verde, com transparência e qualidade, é urgente. São 22 bairros e 300 mil pessoas vivendo às margens da via. Os impactos são muito grandes”, avalia Goura, que reclamou de nenhum representante da prefeitura ter participado da sessão na Alep.

Prefeitura diz que obra está em dia

Em nota, a prefeitura de Curitiba afirma que uma solicitação feita pela Alep neste mês de abril sobre informações da Linha Verde ainda está dentro do prazo para ser respondido. “A prefeitura está e sempre esteve totalmente à disposição para prestar qualquer tipo de esclarecimento sobre o assunto”, enfatiza a nota.

LEIA MAIS – Paraná pode ter “passaporte covid” com proibições pra quem não se vacinar; veja a proposta

Sobre as obras em si, a Secretaria Municipal de Obras Públicas (SMOP) explica que o ritmo da obra na Linha Verde depende da liberação de financiamentos internacionais e do governo federal, o que é fiscalizado pelos tribunais de contas do Estado do Paraná (TCE-PR) e da União (TCU). “Atualmente, as obras estão com quatro frentes de trabalho – todas em andamento – e com a previsão de conclusão dos serviços entre junho de 2021 e o primeiro semestre de 2022”, conclui a nota da prefeitura.