As linhas Inter 2 e Interbairros 2, que juntas transportam 166 mil passageiros por dia em Curitiba, podem sofrer atrasos a partir de segunda-feira (23) com o início da obra da trincheira do Seminário, no cruzamento da Rua Mário Tourinho com a Avenida Nossa Senhora Aparecida. O impacto maior será no trajeto entre os terminais do Portão e Campina do Siqueira no fluxo sentido horário, em que os trabalhos vão afetar outras sete linhas – que exigirão desvios por causa da interdição total da Rua Mário Tourinho.

Na direção contrária – anti-horário, entre o Campina do Siqueira e o Portão -, não há desvios porque o fluxo seguirá em meia pista pela Mário Tourinho. No entanto, haverá mudanças em pontos de paradas das linhas convencionais e a obra pode deixar o trajeto das duas linhas mais lento.

Com início da construção da trincheira, a prefeitura detalhou os desvios para o Inter 2 e Interbairros 2 sentido horário e também para os ônibus de reforço dessas linhas, o Capão Raso/Campina do Siqueira direto e convencional.

A partir da fonte de Jerusalém, Inter 2 e Interbairros 2 sentido horário e seus reforços serão desviados para a Rua Professor Aremiro Loyola, Avenida Silva Jardim, Rua Teixeira Soares e Major Heitor Guimarães até voltarem, mais à frente, para a Mário Tourinho. No caso dos ligeirinhos, como não há estações-tubo neste trajeto, o motorista poderá seguir a mesma rota do convencional ou acessar o desvio logo após a estação Santa Quitéria pela Avenida Getúlio Vargas.

Foto: Reprodução/Prefeitura de Curitiba
Foto: Reprodução/Prefeitura de Curitiba

Por causa das mudanças e do tempo a mais que o novo trajeto pode custar aos passageiros, a Urbs, empresa municipal responsável pelo transporte público de Curitiba, não descarta ter que adaptar a tabela horária das linhas.

“Os desvios vão dar uma extensão maior ao trajeto, mas a gente já está monitorando essas linhas com relação aos horários para que as tabelas sejam ajustadas. No Inter 2 nós temos GPS, então conseguimos sentir o atraso e já começar a fazer esses ajustes para causar menos impacto”, adiantou Adão José Lara Vieira, coordenador de projetos operacionais da Urbs.

Até que os horários estejam sob controle, a Urbs vai manter dois ônibus extras no terminal do Campina do Siqueira. Os veículos poderão operar em qualquer sentido como reforço em casos de muito atrasado. “Se está demorando demais um ônibus que vem do Portão, a gente coloca esse ônibus em operação para não atrasar demais os passageiros”, explica o coordenador.

Mudança em pontos

As mudanças no transporte público provocadas pela obra da trincheira também engloba pontos de parada. Interbairros 2 e seu reforço Portão-Campina do Siqueira, tanto no sentido horário como no sentido anti-horário, perderão temporariamente o ponto de parada entre a rua São Leopoldo e a Avenida Nossa Senhora Aparecida.

Com o desvio na direção horário, entre Portão e Campina do Siqueira, os convencionais ganham um ponto na Rua Major Heitor Guimarães, entre a Avenida Nossa Senhora Aparecida e a Rua Carmelo Rangel.

Haverá ainda outras linhas com alteração. As convencionais Jardim Social-Batel; Rua XV-Barigui; Vila Sandra; Tramontina e a madrugueira Tarumã-Augusta – que circulam no trecho em que a Avenida Nossa Senhora Aparecida ficará bloqueado – terão desvios.

Parte de viaduto desaba nesta madrugada em Curitiba