O Litoral do Paraná recebeu duas visitas inesperadas nesta sexta-feira (27). Uma baleia franca foi flagrada por pescadores próximo à orla do Balneário Barrancos, em Pontal do Paraná. O mamífero já está sendo monitorado pelo Centro de Estudos do Mar (CEM) da Universidade Federal do Paraná (UFPR), que desde quinta-feira passada (19) também está de olho eu uma foca-caranguejeira, de aparição rara por aqui e que foi avistada na comunidade de Ilha das Peças, na Baía de Paranaguá.

A baleia franca foi encontrada pelos pescadores por volta das 11h15 desta sexta. O vigilante Fabiano Miranda do Nascimento, de 39 anos, um dos que viu o mamífero, disse ele já estava próximo da orla quando percebeu o animal. “A pescaria não tinha sido muito boa, então decidimos voltar. Só que, um quilômetro antes da orla, vimos a baleia e demos a volta para filmá-la”, relatou.

Segundo ele, a baleia tinha mais de dez metros de comprimento e estava sozinha. As imagens gravadas pelo vigilante mostram quando o animal esguicha água – ação que ela faz para respirar, já que ejeta ar quente. Esse ar se condensa em contato com o ar frio da atmosfera, criando a nuvem de gotas de água percebida no vídeo.

De acordo com a bióloga Camila Domit, do Laboratório de Ecologia e Conservação de Mamíferos e Répteis Marinhos do CEM, tão logo o grupo foi comunicado sobre o aparecimento da baleia, uma equipe foi ao local, mas não conseguiu mais encontrá-la. Por isso, ainda não foi possível concluir se é um animal adulto ou juvenil. “Ela tem algumas rugosidades na cabeça, umas machinhas brancas que permitem a gente identificar o indivíduo. E a foto que mostra essas manchinhas nós enviamos para o projeto Baleia Franca, em Santa Catarina, que consegue identificar, ver se ela já passou por aqui”, explica a bióloga.

Como até as 15h desta sexta a baleia não tinha mais sido vista pelos especialistas, o CEM faz um apelo de que, caso alguém a veja novamente o mamífero, notifique o laboratório pelos telefones 0800 642 3341 ou (41) 3511-8671. “A gente não tem recurso para botar barco na água e sair aleatoriamente procurando. Por isso essa ajuda é importante”.

As baleias da espécie franca visitam a costa brasileira todos os anos para reprodução. Apesar de suas aparições não serem raras no Litoral do Paraná, são mais comuns em Santa Catarina. Conforme Camila, um sobrevoo sobre a costa do estado vizinho feito há algumas semanas identificou 32 baleias por lá. “Isso possivelmente mostra que elas estão se dispersando”, observa a especialista.

Foca-caranguejeira

Desde o último dia 19, o Centro de Estudos do Mar também está monitorando uma foca-caranguejeira. Natural da costa da Antártida — portanto rara por aqui —, o animal chegou até a Ilha das Peças, na Baía de Paranaguá, e está recebendo atenção direta desde então.

Segundo Camila, trata-se possivelmente de um macho juvenil. Ele chegou com vários ferimentos nas nadadeiras de trás e já foi medicado com antibióticos. “ Nós fizemos a contenção dela porque ela estava num lugar com várias crianças e também tinha cachorros atacando a foca. Então achamos melhor retirá-las de lá”.

A foca foi levada para uma praia deserta em Pontal do Paraná, mas há cinco dias trocou o local definido pelos especialistas por uma área reservada em Guaraqueçaba.

Apoiadores de Lula tumultuam lançamento de livro do ‘Japonês da Federal’