Indignados. É assim que cerca de 430 funcionários do Hospital Municipal de Araucária (HMA), na Região Metropolitana de Curitiba (RMC) amanheceram nesta segunda-feira (20) após receberem a notícia de que foram desligados definitivamente de suas atividades na unidade – a única em funcionamento no município atualmente -, após divulgação do resultado de um novo processo seletivo realizado para contratação de funcionários para o hospital.

Segundo uma das colaboradoras do hospital, que preferiu não ser identificada, a notícia chegou ainda de madrugada, com a divulgação da lista com os nomes dos aprovados no processo seletivo, realizado pelo novo gestor terceirizado do hospital, o Instituto Vida e Saúde (Invisa), que assumiu o comando da unidade no início do mês. “Ninguém foi avisado e, sem mais nem menos, fomos colocados na rua”, revelou à reportagem.

De acordo com a profissional do setor de enfermagem, os funcionários do hospital sabiam da mudança na gestão, mas foram informados que teriam seus cargos preservados pela nova contratante, o que não aconteceu. “Além de nos demitirem estão exigindo que apliquemos treinamento nos novos contratados. É humilhante”, disse.

A Tribuna do Paraná entrou em contato com a Prefeitura de Araucária que, por meio da assessoria de comunicação, esclareceu que desde o dia 31 de julho o centro hospitalar se encontrava em situação de intervenção – por parte da administração municipal – para apurações sobre a gestão interna da unidade. Neste período, segundo a Prefeitura, todos os funcionários foram avisados a respeito da contratação da nova empresa terceirizada responsável pelos serviços e firmaram um contrato temporário com validade de 45 dias, até que a nova gestora realizasse processo seletivo tendo em vista firmar novas contratações.

Leia mais: Rede de supermercados abre 700 vagas de emprego em Curitiba e região

Comunicação prévia

De acordo com a administração do município, os colaboradores foram, inclusive, instruídos a participarem do processo de seleção, já que a decisão pela manutenção das vagas já existentes só poderia ser feita pela empresa terceirizada.

A Prefeitura nega qualquer irregularidade na mudança gestorial ou procedimento de contratação do hospital e ressalta que os funcionários estavam cientes do processo desde o início. A administração municipal enfatizou ainda que, quaisquer decisões a respeito dos cargos da unidade são de responsabilidade exclusiva da terceirizada.

Sobre os treinamentos aos novos contratados, a Prefeitura confirma que os antigos funcionários foram escalados para o serviço e ressaltou que os atendimentos do hospital não serão prejudicados durante a transição do quadro.

O Hospital Municipal de Araucária realiza, em média, 200 atendimentos por dia nos setores comuns e mais 120 na ala pediátrica.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Após incertezas, Hospital Municipal de Araucária continuará com suas atividades