O repouso de uma família na noite de quarta-feira (06) foi interrompido por disparos que a polícia acredita que foram efetuados por alguém que eles conheciam. Pai, mãe e filho morreram baleados na cabeça, no Tatuquara.

A família vivia em uma residência em uma área de invasão conhecida como Vila Sapo, às margens do quilômetro 147 da Rodovia do Xisto. Um vizinho contou para a polícia que saiu de casa para ir à igreja, por volta das 19h30, e voltou às 23h, quando encontrou a porta da casa aberta e as luzes apagadas.

Ele estranhou o fato, já que a família sempre permanecia com as portas trancadas. Quando ele se aproximou, encontrou todos mortos e avisou a Polícia Militar.

João Carlos Sholz, 44 anos, jantava, e Marta Maia, 43, e o filho Anderson Maia da Rocha, 24, assistiam televisão quando foram mortos. Os homens levaram dois tiros na cabeça, e Marta foi atingida por um.

“Eles foram pegos de surpresa. A porta não tem nenhum sinal de arrombamento, e era uma porta em boas condições, com tranca. Tudo indica que os autores seriam conhecidos das vítimas, e que elas autorizaram a entrada dos assassinos”, explica o delegado Fábio Amaro, da Delegacia de Homicídios.

Testemunhas contaram para a polícia que João Carlos era alcoólatra e Anderson era usuário de drogas. Não é descartada a possibilidade de que o crime tenha relação com o tráfico na invasão.