“Eu fiz uma besteira. Matei a Priscila”. Estas teriam sido as últimas palavras de Cleverson Leandro Mielk, 29 anos, num telefonema à sua mãe, contando que havia acabado de assassinar a esposa, Pricila Moreira Mielk, 25.

Logo em seguida, se matou com um tiro na cabeça. Os corpos foram encontrados pela Polícia Militar dentro do carro do casal, na esquina das Ruas Antônio Turíbio Teixeira Braga e Ângelo Massignan, no Butiatuvinha.

Segundo levantou o soldado Cleder, do 12.º Batalhão da PM, Cleverson e Pricila passaram oito anos casados, tinham um filho e moravam na Rua José Culpi, próximo dali.

Há 10 dias, estavam separados e se desentendendo. Ontem à noite, Cleverson foi buscar a mulher no trabalho, uma autoescola na Avenida Vereador Toaldo Túlio, São Braz, para levá-la em casa.

Discussão

Provavelmente, recebeu uma negativa ao tentar a reconciliação, descontrolou-se e deu um tiro no peito e outro na cabeça da jovem. Depois do telefonema à mãe, Cleverson se matou. O revólver calibre 38 ficou caído no colo do rapaz.

Ao chegar ao local, os policiais acharam que a mulher ainda estava com vida. Como o carro estava trancado, quebraram o vidro traseiro para abrir o veículo. Porém, só constataram o morte do casal.