A cidade de Matinhos, no litoral do Paraná, foi atingida por um temporal e um forte vendaval que causou estrados na cidade, que se fechou para turistas por causa da pandemia de covid-19, na noite deste domingo (14). Nas redes sociais muitos moradores da cidade questionavam sobre a passagem de um ciclone pela cidade, mas, segundo o Simepar, não foi bem assim.

A Tribuna procurou o Simepar que explicou que, apesar dos grandes estragos causados na cidade na noite de domingo, o fenômeno não foi um ciclone, mas uma tempestade mais severa, comuns nesta época do ano. Segundo a Defesa Civil do município, foram cerca de 20 minutos de chuva, mas o que foi suficiente para gerar problemas em quiosques, derrubar árvores e destelhar algumas casas. Apesar do estrado, ninguém ficou ferido por causa dos eventos climáticos.

Uma das áreas mais afetas, segundo a Defesa Civil, é a da Avenida Atlântica, por lá, muitos quiosques foram afetados e tiveram suas proteções arrancadas pelos fortes ventos.

Veio de Santa Catarina

Segundo o Simepar, aglomerados de nuvens convectivas se desenvolveram sobre o Nordeste de Santa Catarina, e se deslocaram para norte sobre o oceano, atuando também sobre os municípios do Litoral Paranaense. “Os aglomerados de nuvens se intensificaram na divisa de SC e PR e o lento deslocamento sobre o Litoral do PR favoreceu para chuvas volumosas nos diversos municípios, além de incidência elevada de descargas atmosféricas e rajadas de vento moderadas a fortes”, explicou o Simepar.

Alerta laranja de temporal

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) a região de Curitiba e litoral do Paraná segue em alerta amarelo de temporal. Esse alerta prevê chuva entre 20 e 30 mm/h ou até 50 mm/dia, ventos intensos (40-60 km/h), e queda de granizo. Baixo risco de corte de energia elétrica, estragos em plantações, queda de galhos de árvores e de alagamentos.