Em apenas três meses, mais de 200 animais foram apreendidos em situação de maus tratos em Curitiba, em operações da Rede de Proteção Animal da Prefeitura de Curitiba com a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) da Polícia Civil. Além disso, nesse mesmo período, a equipe do Departamento de Pesquisa e Conservação da Fauna, ao qual pertence a Divisão de Proteção Animal, aplicou 27 autos de infração, que ultrapassam o valor de R$ 250 mil.

Entre os animais apreendidos, estão, inclusive, aves silvestres nativas ameaçadas de extinção. Para receber os animais domésticos, foi necessário o apoio de Organizações Não-Governamentais e protetores independentes que ofertaram lares temporários. Os silvestres foram encaminhados para o Centro de Apoio à Fauna Silvestre (CAFS), que faz parte do convênio do município com o Instituto Ambiental do Paraná.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Trabalho em conjunto pra investigar denúncias

As operações conjuntas tiveram início em fevereiro, após reuniões com o delegado-titular da DPMA, Matheus Laiola, com o objetivo de dar agilidade à verificação das denúncias de maus-tratos contra animais que chegam ao município pela Central 156 e também a casos investigados pela Polícia Civil.

O Departamento de Pesquisa e Conservação da Fauna recebe apoio também da Secretaria Municipal da Defesa Social na rotina de fiscalizações, com a presença da Guarda Municipal e da Polícia Ambiental do Paraná.

A população pode ajudar o município informando à Central 156 quando identificar situações de maus-tratos a animais domésticos e silvestres, além de posse ilegal. A Rede de Proteção Animal recebe cerca de 30 denúncias dessa natureza diariamente.

Policiais salvam sete pessoas de afogamento em grupo no litoral do Paraná