A médica plantonista da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Almirante Tamandaré, região metropolitana de Curitiba, que fez postagens reclamando de pacientes de maneira ofensiva, se desculpou publicamente na noite de terça-feira (24) e reconheceu que errou. A profissional é alvo de uma sindicância do Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM-PR), que investiga se ela feriu os princípios éticos da profissão ao usar as redes sociais como ferramenta de ataque a quem procurava o pronto-socorro.

LEIA TAMBÉM:

>> Médica da RMC é afastada da UPA após xingar paciente pelas redes sociais

>> Vaquinha junta R$ 120 mil pra trazer corpos de influencer e de cão que morreram nos EUA

>> De São José dos Pinhais a Curitiba com uma passagem! Terminal de ônibus passa integrar a rede de transporte da RMC

Segundo o portal G1 Paraná, a médica Mariana de Lima Alves respondeu à reportagem do portal dizendo que “as postagens foram feitas quando estava cansada e estressada”. A médica dá plantões na UPA 24h de Tamandaré, contratada por uma empresa terceirizada. Por meio de nota, na terça-feira, a prefeitura informou que suspendeu a profissional até que o caso seja apurado no CRM-PR.

“Reconheço ter errado, especialmente pela forma como escrevi as mensagens, mas ressalto que a forma de indignação foi pensando no bem estar geral dos pacientes. Entendo que todos mereçam ótimo tratamento e foi assim que sempre agi, porém sempre me preocupei que pessoas com sintomas que deveriam ser tratados em UBS e serviços ambulatoriais pudessem causar filas que gerassem risco ao atendimento de pessoas em situações de urgência/emergência”, disse a médica ao portal G1 Paraná, por meio de nota.

Leia o texto na íntegra

Olá

Venho aqui me desculpar pelas mensagens escritas no meu twitter sobre os meus plantões realizados no pronto socorro médico. As mensagens foram escritas em desabafo em momento de estresse e cansaço.

Peço desculpas, principalmente porque amo minha profissão e meu contato diário com os pacientes. Atendo a todos que comparecem no pronto socorro com o máximo cuidado, dedicação e respeito, sempre buscando o melhor tratamento para os sintomas apresentados.

Reconheço ter errado, especialmente pela forma como escrevi as mensagens, mas ressalto que a forma de indignação foi pensando no bem estar geral dos pacientes. Entendo que todos mereçam ótimo tratamento e foi assim que sempre agi, porém sempre me preocupei que pessoas com sintomas que deveriam ser tratados em UBS e serviços ambulatoriais pudessem causar filas que gerassem risco ao atendimento de pessoas em situações de urgência/emergência.

Também me preocupava, por exemplo, que gestantes pudessem ser melhor atendidas em uma maternidade, com todo o suporte, do que em um pronto socorro. Enfim, minha preocupação sempre foi o melhor atendimento de todos os pacientes, e reconheço que errei ao me manifestar da forma como fiz no meu twitter.

Garanto que minhas manifestações, por outro lado, nada influenciaram na forma como eu atendi meus pacientes, o que fiz sempre com todo cuidado e cumprindo minha vocação para a medicina. Isso pode ser testemunhado também por meus colegas de trabalho, a quem agradeço pelo apoio que têm me dado neste momento.”

Outras mensagens

Após o caso vir à tona, outras mensagens publicadas pela médica anteriormente no Twitter também apareceram, e foram divulgadas por usuários das redes sociais.

Médica reclama de atendimento em rede social  — Foto: Reprodução/Redes sociais
Foto: Reprodução/Redes sociais
Médica reclama de atendimento em rede social  — Foto: Reprodução/Redes sociais
Foto: Reprodução/Redes sociais
Pantanal

Zuleica está preocupada com Marcelo

Instagramáveis

Saiba onde encontrar as lindas cerejeiras em Curitiba

Novidades da Netflix

Volume 2 de Stranger Things 4 e mais séries e filmes chegam nesta semana

Além da Ilusão

Joaquim termina seu noivado com Isadora