Uma médica que trabalha na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Pinheirinho, em Curitiba, acionou a Guarda Municipal após ser agredida fisicamente e verbalmente na madrugada deste domingo (30). A vítima e a possível agressora prestaram depoimento na Central de Flagrantes da Polícia Civil.

De acordo com a prefeitura, próximo das 5h30 deste domingo, médica orientou a família do paciente que aguardasse na sala de espera enquanto faria o atendimento das pessoas que ali estavam presentes. Aliás, o protocolo da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) orienta que a acompanhante não pode ficar junto em virtude da pandemia da Covid-19. Depois do pedido, uma pessoa começou a xingar a profissional de saúde e a agrediu com tapas, chutes e socos. A agressão provocou ferimentos na região dos olhos.

LEIA TAMBÉM:

>> Com avalanche de casos, Pequeno Príncipe tem recorde de crianças com covid-19

>> Greca sai da UTI, se recupera de cirurgia de e começa dieta líquida de alimentos

A prefeitura lamentou o ocorrido e solicitou reforço da Guarda Municipal nas UPAs de Curitiba e fez um apelo para que a população respeite os profissionais que atuam no combate à pandemia. “A Secretaria Municipal da Saúde lamenta profundamente, que neste momento atual da pandemia, após trabalhar incansavelmente durante todo esse período, os profissionais de saúde estejam sendo atacados e sendo vítimas de agressão, por parte da população. A profissional foi agredida no exercício de sua função, sem nada que houvesse justificativa para tamanha violência. A Secretaria Municipal da Saúde faz um apelo à população para que respeite os profissionais que trabalham no enfrentamento dessa grave crise”, disse em nota.  

Nova novela

Conheça o elenco principal de “Poliana Moça”

Quanto Mais Vida, Melhor

Flavia/Guilherme se esconde no bar de Teca

Além da Ilusão

Davi pede desculpa a Isadora por tê-la beijado

Confira!

John Wick 2 e mais filmes e séries chegam nesta semana na Netflix