Diagnosticado com Síndrome de West – um tipo raro de epilepsia – e com paralisa cerebral, o menino Erick Ismael Correia da Silva é um vencedor. Hoje, aos 12 anos, ele superou há muito tempo a expectativa de vida dada inicialmente pelos médicos, que acreditavam que ele não passaria do primeiro ano de vida.

Depois de conseguir construir uma UTI na casa onde vivem, no Tatuquara, para que ele tenha atendimento 24 horas, graças à solidariedade de pessoas como os leitores da Tribuna, que acompanham a história do menino desde 2014, sua mãe, Dalvana Correia da Silva, conta que agora eles precisam de uma ajudinha a mais. Por conta de uma escoliose, problema que provoca uma curvatura anormal na coluna vertebral, o menino precisa de um colchão especial.

“Por recomendação médica, o ideal seria um modelo pneumático, que custa cerca de R$ 18 mil. Como o custo é elevado, estamos buscando ajuda para comprar para ele um magnético, que custa entre R$ 3,5 mil (usado) e R$ 5 mil (novo). Esse colchão daria mais conforto para ele, que sofre com dores e já está com alguns órgãos afetados pelo problema na coluna”, relata a mãe.

Pra ajudar

Os gastos para manter Erick em casa chegam a mais de R$ 1 mil por mês. Por isso, a família enfrenta dificuldades quando precisa adquirir um novo artigo ou equipamento. As doações podem ser feitas por meio de depósito, na Caixa Econômica Federal, agência 4744, operação 013, conta poupança 33.578, em nome de Dalvana Correia da Silva. Ou, os interessados podem entrar em contato direto com a família, pelos telefones (41) 8870-4358 e (41) 9777-5949.