Metalúrgicos da empresa CNH Industrial, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), paralisaram as atividades por duas horas nesta quarta-feira (8) contra demissões que aconteceram nos últimos dias. Segundo os trabalhadores, 19 colegas foram mandados embora sem que houvesse uma explicação.

A paralisação foi pontual e os funcionários voltaram ao trabalho logo depois das 9h. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba (SMC), a empresa sinalizou que vai receber representantes para uma reunião e, caso não haja a recontratação das pessoas demitidas, uma greve por tempo indeterminado será deflagrada na próxima sexta-feira (10).

“Nós abrimos indicativo de greve e o prazo das 48 horas vence na sexta. Enquanto isso, queremos que a empresa se abra para discutir e, pelo menos, explicar o que aconteceu. Sabemos que a CNH não passa por um momento de crise e os funcionários foram demitidos de forma arbitrária, sem que o sindicato sequer tomasse conhecimento disso”, disse Sérgio Butka, presidente do SMC.

Conforme Sérgio, de todos os demitidos, pelo menos cinco pessoas não poderiam ser dispensadas, pois estão em tratamento de saúde. “Eles têm doenças de trabalho e não poderiam ser demitidos. O que nós vamos buscar agora, além de saber o que motivou a demissão e entender o que está acontecendo, é a recontratação de todos os dispensados e garantir que outros trabalhadores que não possam ser demitidos sejam prejudicados”.

O presidente do sindicato contou que, desde o final de 2016, o setor de trabalho da CNH melhorou e a empresa mudou a atitude com os trabalhadores. “A empresa está aproveitando os trabalhadores de contrato temporário e está desligando os efetivos. A empresa mudou a postura e simplesmente está demitindo, sem nenhum contato com o sindicato”, explicou Sérgio Butka.

Ainda de acordo com o sindicato, nesta terça-feira (7), a CNH tentou demitir mais 12 funcionários, mas não conseguiu por uma intervenção do próprio sindicato que fez com que a empresa travasse as demissões. “O nosso maior e principal problema hoje são as demissões. Não temos do que reclamar, o setor está reaquecendo, a empresa está num bom momento, mas não vamos admitir que os trabalhadores que seguraram a barra quando foi necessário agora sejam dispensados”.

Empresa confirma demissões

Através da assessoria de imprensa, a CNH informou que nos últimos dias 17 pessoas foram dispensadas. Conforme a empresa, as demissões não foram por redução de custos, mas sim motivadas pelo desempenho dos funcionários. A CNH também confirmou que os 250 trabalhadores temporários, que trabalham desde o ano passado, tiveram seus contratos estendidos até o segundo semestre deste ano.