Uma nova manifestação foi iniciada na manhã desta quinta-feira (29) na frente de várias indústrias da Grande Curitiba. Organizada por forças sindicais, a manifestação nacional quer discutir o direito de trabalhadores e formas de reaquecer a economia do país. O protesto foi realizado também no dia 22 deste mês.

Centenas de trabalhadores foram para a entrada das fábricas de Ranault, WHB, Volkswagen, CNH, Volvo.

Os protestos acontecem as principais empresas da categoria, desde às 6h. Mais de 30 mil trabalhadores da capital e região metropolitana devem participar.

Nacional

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Curitiba (SMC), o protesto nacional pode mobilizar mais de 2 milhões de pessoas. A mobilização faz parte da campanha nacional “Cortar Direitos Não Gera Emprego! Retomada da Economia Já!”. O “Dia de Unidade de Ação Metalúrgica em Defesa dos Direitos e da Aposentadoria”, é organizado pelas Confederações, Federações e mais de  500 Sindicatos de metalúrgicos do Brasil, ligados à Força Sindical, Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e da Central Sindical e Popular (CSP-Conlutas). Em Curitiba, os protestos acontecerão nas principais empresas da categoria, a partir das 6h, com participação efetiva de mais de 30 mil trabalhadores da capital e região metropolitana, sob a liderança do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba, filiado à Força Sindical.

Mais informações em breve!