O ministro da Infraestrutura substituto, Marcelo Sampaio (Tarcísio Freitas está em viagem à Europa) afirmou, ao assinar o contrato de concessão dos nove aeroportos do eixo sul com a CCR, que os investimentos nos terminais, entre eles os aeroportos Afonso Pena, Bacacheri, de Foz do Iguaçu e de Londrina, devem começar imediatamente.

“O contrato assinado começa agora a transição administrativa dos nove aeroportos. Os investimentos em melhorias na infraestrutura e na capacidade operacional desses terminais começam de imediato. No primeiro momento, a empresa deverá melhorar os padrões operacionais dos aeroportos, com ações que vão desde reforma de banheiros à oferta de internet gratuita aos viajantes”, disse o ministro interino.

Depois, nos 36 meses contados a partir da data de eficácia do contrato, a concessionária deve realizar os investimentos específicos em cada aeroporto, além de adequar a infraestrutura atual para a prestação do serviço. A expectativa é de que os R$ 2,9 bilhões de investimentos previstos se traduzam em serviços melhores ao usuário e em reformulações que passam por ampliação de terminais de passageiros, modernização de pontes de embarque, equipamentos e pistas de pouso; aumento de capacidade operacional e de pátios de aeronaves, entre outros.

Juntos, esses terminais aéreos movimentaram 1,4 milhão de passageiros em 2021 – o que deve saltar para 27 milhões de passageiros/ano até 2050. Já a movimentação de carga passará das 14,1 mil toneladas neste ano para 103,7 mil toneladas em 2050, conforme estimativa feita pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Os investimentos também devem se traduzir em mais empregos no Sul do país, contribuindo com o desenvolvimento econômico da região. A previsão é que a concessão resulte na abertura de 48 mil postos de trabalho – diretos, indiretos e efeito-renda – ao longo do contrato.

“Acabamos de assinar contrato com a CCR que vai começar os investimentos nos nove aeroportos do bloco sul de aeroportos. A expectativa é que sejam gerados 48 mil empregos durante o período de concessão. E esses investimentos vão ampliar os terminais de passageiro, as posições nas pistas para as aeronaves. Com essa concessão, a CCR se consolida como maior operador aeroportuário do país, com 17 aeroportos sob sua administração”, concluiu o ministro substituto.