Ricardo Quintino, 23 anos, foi preso no sábado (14) pela Polícia Militar e levado à Delegacia de Homicídios, onde ele confessou ter assassinado a pauladas o morador de rua Gilmar Lopes, 32, o “Barba”.

O crime ocorreu na sexta-feira de madrugada, numa construção abandonada na esquina das Ruas Cândido Xavier e Professor Guido Straube, na Vila Izabel.

Segundo o suspeito declarou ao delegado Rubens Recalcatti, assassinou Gilmar porque ambos brigaram por causa de um radinho de pilha. Ainda teriam discutido por causa de drogas.

Diante da confusão, Ricardo se armou com um pedaço de pau e agrediu a vítima no térreo do prédio. Gilmar tentou fugir, mas foi alcançado no terceiro andar e terminou de ser morto pelo rival.

Pegadas

No local do crime, o delegado verificou marcas muito nítidas de um sapato, que ele concluiu serem do assassino. Sábado, quando Ricardo foi preso, Recalcatti pediu para verificar o sapato do suspeito e a sola é muito semelhante às marcas encontradas no local.

O tênis foi apreendido e encaminhado à perícia, para ver se produz pegadas iguais às encontrada próximo ao cadáver. O único inconveniente da apreensão do tênis foi o cheiro que ficou dentro da delegacia e infestou todo o térreo e quase todas as salas do primeiro andar. Com todo o frio do final de semana, todas as janelas e portas tiveram que ser abertas.