Para quem é morador da Rua Afonso Aleixo, na Vila Gilcy, em Campo Largo, na Grande Curitiba, basta chover alguns minutos para que um pesadelo comece. Na rua passa um pequeno córrego conhecido como Arroio Bom Jesus e, de acordo com moradores, a falta de limpeza do local faz com que o córrego transborde pela rua com frequência. Os moradores alegam que a Prefeitura de Campo Largo não faz a limpeza e que por isso os alagamentos acontecem.

“Nós já tentamos de tudo, mas infelizmente não conseguimos solucionar esse problema. Para nós, basta que a prefeitura realize a limpeza, porque nós não temos essa autorização, mesmo dispostos a fazer este trabalho. Eles alegam que dependem de outros órgãos, mas será que não é possível conseguir isso?”, desabafou o pedreiro Adilson Pereira, 58 anos.

O mecânico Cláudio Coronado, 53 anos, conta que nos últimos anos foram mais de 20 alagamentos em sua casa e diversos prejuízos. Ele já perdeu móveis, roupas e outros eletrônicos. Cansado de passar por essa situação, o morador desabafa que já perdeu as esperanças. “Eu já tentei encontrar uma solução de todas as formas. Na minha casa eu já perdi de tudo um pouco e não precisa chover muito pra isso acontecer. É algo tão simples, limpar o córrego. Eu faria isso se me fosse autorizado, mas, se eu fizer, ainda posso levar multa da prefeitura, como já fui informado. Antes, quando havia limpeza, não tinha esse problema”, relatou o mecânico.

A situação também é parecida para o irmão José Alberto Coronado, 58 anos, que mora em uma casa vizinha. “Como vocês podem perceber, não é preciso chover muito pra rua alagar. Basta alguns minutos para que o rio transborde. Eu os vizinhos ficamos aqui, empurrando a água com vassouras”, relatou.

Sem previsão

Ao olhar o córrego, não é preciso ser especialista no assunto para encontrar diversos materiais boiando e entender que o local precisa de uma limpeza com urgência. Procurada pela reportagem, a Prefeitura de Campo Largo informou por telefone, através de um assessor de imprensa, que para realizar a limpeza do córrego é necessário uma autorização do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), que ainda não foi concedida. Questionado sobre quando o pedido foi feito ao IAP, o assessor não soube informar a data. Até o fechamento desta matéria, o Instituto Ambiental do Paraná não havia encontrado registro de nenhum pedido para a limpeza do córrego na Vila Gilcy em trâmite ou negado, conforme informou a assessoria do órgão.