Um protesto de moradores da Vila Torres, no Prado Velho, em Curitiba, bloqueou o trânsito na Rua Guabirotuba, na Avenida Chile e na Avenida das Torres, por duas vezes, nesta terça-feira (3).

Queimando pneus, mas sem se mobilizar com faixas ou cartazes, a população se manifestou contra a morte de dois homens no final de semana, em confronto com policiais militares. Equipes da Polícia Militar (PM) acompanharam a manifestação sem interferir no protesto.

No inicio da tarde, uma onda de protestos foi iniciada pelos moradores, que fecharam totalmente a Chile e a Guabirotuba. O trânsito foi liberado parcialmente por volta das 14h30 e equipes da Cavo realizaram a limpeza da via. As vias foram novamente fechadas no começo da noite, de forma semelhante à feita anteriormente.

Trânsito complicado

A manifestação, que seguiu pacífica e sem grandes movimentações de moradores, causou grandes congestionamentos na região, tanto nas ruas fechadas quanto nas paralelas e transversair. Por causa do protesto, até mesmo a movimentação dos alunos da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) foi afetada e o trânsito todo teve que ser desviado pela Rua Imaculada Conceição.

Novo protesto

As equipes da PM e também da Setran seguiram mobilizadas na Vila Torres até a noite. Os policiais receberam a informação de que, ainda durante a tarde, um novo protesto seria feito pelos moradores, dessa vez bloqueando a Rua Chile, do outro lado da vila.

Segundo a PM, os policiais resolveram não interferir. “A nossa intenção é nos mantermos isentos na situação toda e fazermos a segurança de todos os envolvidos. A população tem o direito de protestar”, explicou o tenente Mateus Ferreira, do 12º Batalhão da PM.

Entenda o caso

O confronto que motivou o protesto desta terça-feira aconteceu no começo da madrugada de domingo (1), por volta da 00h40, e envolveu uma equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope). Segundo os policiais, dois homens trocaram tiros com os PMs e morreram na hora.

Com os dois, que os policiais inclusive receberam informações sobre quem seriam e quais seriam suas atuações na vila, os PMs apreenderam dois revólveres calibre 38. As armas foram entregues à Polícia Civil. Na ação, nenhum dos policiais se feriu.

Segundo os moradores, o motivo do protesto, portanto, era reforçar que a ação dos policiais militares foi truculenta. Os moradores afirmam que os homens que morreram no tiroteio não se envolveram num confronto e pedem investigações por parte da polícia.