Uma postagem nas redes sociais a favor do tratamento precoce e contra o lockdown em Curitiba, para conter o contágio com o novo coronavírus (covid-19), tem chamado a atenção dos seguidores da Sociedade Morgenau, clube da capital paranaense. O post entrou no ar na Sexta-feira Santa (2), no Facebook, e traz um card com a mensagem “Tratamento precoce salva, lockdown mata. Esporte é vida. Juntos somos mais fortes!”. Até o início da tarde deste sábado (3), por volta das 13h, a publicação contava com 123 comentários e 25 compartilhamentos.

LEIA MAIS – Automedicação por medo da covid-19 coloca pacientes em risco. Orientação médica é o caminho!

O incentivo ao tratamento precoce, que algumas pessoas associam ao “kit covid” – que são uma série de medicamentos para o tratamento do coronavírus – tem sido abordado como “absurdo” pela prefeitura de Curitiba e profissionais de saúde de todo o mundo, por causa da eficácia não comprovada cientificamente no tratamento e pelos efeitos colaterais.

Embora a publicação do Morgenau se destaque nas redes sociais por estar página de um clube de Curitiba, ou seja, uma entidade civil organizada, essa não é a primeira vez que o “kit covid” ganha publicidade na capital.

No fim de março, a prefeitura de Curitiba notificou uma empresa responsável pela colocação de outdoors favoráveis ao tratamento precoce (entenda-se “kit covid”) contra a covid-19 na cidade. Para embasar a decisão, os fiscais da Secretaria de Urbanismo utilizaram trechos da legislação municipal e do Código de Ética Médica, do Conselho Federal de Medicina. Os outdoors faziam parte de uma campanha do movimento Médicos Pela Vida.

Publicado por Sociedade Morgenau em Sexta-feira, 2 de abril de 2021

No Facebook do Morgenau, entre os cerca de 123 comentários da postagem, há quem defenda defenda o posicionamento do clube e quem questione a legalidade da postagem. Desde que a pandemia começou, há um ano, grandes empresas de tecnologia vem excluindo das redes sociais, no mundo inteiro, informações duvidosas sobre a covid-19, consideradas fake news. Algumas contas nas redes, inclusive, vem sendo banidas do Twitter, Facebook e Instagram por causa disso.

A postagem da Sociedade Morgenau não havia sido retirada do ar até a publicação da matéria. Procurado para comentar a postagem, o Morgenau ainda não respondeu ao contato da reportagem.