Larissa Petez, de 20 anos, foi a terceira vítima fatal da explosão de uma churrasqueira no bairro Sítio Cercado, em Curitiba. Ela estava internada no Hospital Evangélico Mackenzie desde sábado (02), dia da explosão, mas não resistiu aos ferimentos. A morte da jovem foi confirmada nesta manhã de segunda-feira (04). Wemerson Souza e Gustavo Castro, ambos com 26 anos, morreram no dia do acidente. Segundo a assessoria de imprensa do hospital, um homem recebeu alta, e com isso, uma pessoa segue internada em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

+Leia mais! Segunda dose da Pfizer é antecipada em Curitiba; veja ainda a agenda da Coronavac e AstraZeneca

A morte de Larissa comoveu amigos nas redes sociais que lamentaram a morte precoce da jovem, que teve 80% do corpo queimado com a explosão. O caso deixa o sinal de alerta ligado quanto ao jeito e modo com o qual algumas pessoas iniciam um churrasco. O “fazer” o fogo tem suas particularidades e o uso inadequado de líquidos inflamáveis pode ser fatal. De acordo com o Resgate Voluntário Parceiros da Vida, que acompanhou o atendimento, moradores contaram que um galão com gasolina foi usado na churrasqueira e isso poderia ter causado a explosão.

O fato de colocar etanol ou gasolina no carvão para acender o fogo não é novidade para quem trabalha no Corpo de Bombeiros. No entanto, o uso do combustível pode ser considerado um risco para quem prepara o churrasco ou mesmo para aquele que está no mesmo ambiente.

A tenente do Corpo de Bombeiros Ana Paula Bagge, em entrevista para o Bom Dia Paraná da RPC, nesta segunda-feira, relatou o perigo de se utilizar esse recurso. “O Corpo de Bombeiros orienta para que as pessoas tomem cuidado, e existem materiais próprios no mercado para realizar a ação com segurança como bastão ou álcool gel. No momento que se utiliza líquidos inflamáveis, ela espalha o produto dentro da churrasqueira ocorrendo a evaporação de gases. Ela não percebe e acaba inalando, e com o contato com o fósforo ou outra fonte de ignição pode ocorrer uma explosão ou incêndio”, alertou a tenente do Corpo de Bombeiros.

LEIA TAMBÉM:

Professor de Curitiba tem mestrado concluído mesmo após morrer. “Legado pros alunos”

> Curitiba em alerta de fortes chuvas para esta segunda-feira. Veja a previsão!

Combustível é no posto, não em casa

Além dos Bombeiros, churrasqueiros de fins de semana ou mesmo chefs de cozinha alertam para o perigo. Leandro Aron Fernandes, da The OX Room Steak House, reforçou que existem meios seguros para iniciar o fogo. “Uma maneira muito fácil de acender o fogo é utilizar óleo de cozinha. Faça uma trouxinha de papel toalha e encharque com óleo de soja. Ponha no meio do carvão, fazendo uma ‘casinha’ com algumas achas, tomando cuidado para deixar espaço para o ar entrar. Acenda o papel e, na hora que o óleo esquentar, vai queimar o carvão. Aí jogue um pouco mais de óleo em volta”, ensina Fernandes.

+Leia mais! Como fazer um churrasco incrível até com carnes mais baratas? Chefs churrasqueiros dão as dicas

Web Stories

Descubra!

Intrigantes e bizarras! Mais cinco histórias curiosas sobre Curitiba

Você sabia?

Cinco curiosidades sobre Curitiba que nem o curitibano raiz sabe!

Novidade!

Loja da Xiaomi em Curitiba: conheça cinco produtos inusitados

Pra curtir!

Novas atrações turísticas de Curitiba! Partiu conhecer?