Morreu em Curitiba, na terça-feira (29), o escritor e produtor cultural Geraldo Magela Cardoso, aos 66 anos, vítima de um infarto, de acordo com familiares. Ele coordenava a Feira do Poeta, no Largo da Ordem.

LEIA TAMBÉM:

>> Morre Elifas Andreato, criador das capas de discos mais icônicas da MPB

>> Festival de Curitiba 2022: confira a programação de espetáculos gratuitos

Para a presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Ana Cristina de Castro, a poesia curitibana perde um de seus maiores símbolos. “Geraldo Magela era um guerreiro incansável, profissional dedicado e acima de tudo um artista talentoso que fará imensa falta. Sua agitação cultural deixa um legado inestimável para a cidade e para comunidade artística. Aos familiares e amigos, nosso mais profundo pesar”, disse ela.

Magela ingressou no quadro da Fundação Cultural de Curitiba em setembro de 1991 e, nesses 30 anos, foi mediador de leitura nas bibliotecas cidade. Ele passou também pelo Teatro Novelas Curitibanas e Teatro Universitário de Curitiba (TUC), onde foi idealizador do projeto CuTUCando a Inspiração.

Membro da Academia Poética Brasileira, entre os livros publicados destacam-se Bendita Boca Maldita, poemas; Os Calombos dos Quilombos, poesia afro; Se Metamorfose, poemas concretos; Poesygynyka, poesia em rolo de papel higiênico; O Homem é Produto do e-mail, microcontos; e O Rebu do Urubu e Legado do Leão, infantil.

Pantanal

Guta diz aos pais que não vai se casar com Tadeu

Curitiba e região

Frente fria chegando! Confira a previsão

Loterias

Apostou? Veja o resultado das loterias!

Além da Ilusão

Úrsula afirma a Eugênio que esta grávida