Um assaltante morreu após roubar uma frutaria na Rua Afonso Pena, Vila Amélia, em Pinhais, às 19h40 de ontem. Ele foi morto na Rua Café Filho, a uma quadra da frutaria, onde trocou tiros com um policial militar em horário de folga. O marginal usava uma identidade, com sua foto, mas com o número de RG cadastrado para uma mulher.

José Beserra da Silva, dono da frutaria, contou que o rapaz entrou e começou a escolher frutas. Fez várias perguntas a José, inclusive a hora que a quitanda fecharia.

O comerciante notou que poderia tratar-se de um assalto e mandou a esposa ir para dentro da casa. Quando o marginal estava com tudo o que queria nas sacolas – pouco mais de R$ 30,00 em compras, puxou uma arma e deu voz de assalto. Juntou dinheiro que José tinha nos bolsos e no caixa e foi embora.

Azar

Quando o assaltante seguia pela rua, foi surpreendido com voz de prisão. Era um policial militar, morador da região, que tinha sido avisado por uma testemunha do roubo. O policial mandou o assaltante largar as sacolas e colocar as mãos na cabeça.

Em vez de se render ele sacou a arma e atirou no policial, a uma distância de três metros, mas errou o alvo. O policial também sacou sua arma e correu atrás do marginal. Houve troca de tiros e o policial baleou o assaltante. O dono da frutaria, que mora há mais de 30 anos no bairro, disse que nunca tinha visto o rapaz antes por ali.