Morreu no início da noite desta sexta-feira (9), aos 72 anos, o deputado estadual Delegado Rubens Recalcatti (PSD). De acordo com as primeiras informações, ele teve um infarto fulminante e não resistiu. Pela manhã, conforme mostra a foto logo abaixo, ele (à direita) estava bem e sem nenhum problema de saúde. A informação foi confirmada pelo vereador Márcio Barros (à esquerda), que também está na foto ao lado do repórter fotográfico Átila Alberti (ao centro).

Foto foi tirada na manhã desta sexta-feira (09)

“Fomos fazer uma visita mais cedo para ele para conversar sobre alguns trabalhos e também sobre o sucesso de uma live que ele tinha feito ontem (quarta). Falou sobre os projetos para o futuro e o que tinha planejado para esta ano. Não parecia doente, nem nada”, disse Alberti.

“Ele estava bem. Tivemos uma reunião bem legal. Ontem foi dia dos Consegs (Conselhos de Segurança) e ele é o patrono do Conseg. Participei dessa audiência como vereador e presidente da comissão de segurança pública da câmara. Agora a noite ficamos sabendo que ele passou mal. Tentaram levar para o hospital, mas infelizmente não deu tempo”, disse o vereador Márcio Barros à Tribuna.

Histórico

Rubens Recalcatti, ou Delegado Recalcatti, de 70 anos, tomou posse como deputado estadual do Paraná em 2 de maio de 2017. Eleito suplente em outubro de 2014, com 40.358 votos, ficou em quarto lugar na chapa do Partido Social Democrático (PSD), tendo ocupado a vaga deixada pelo atual prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro, também do PSD. Foi reeleito deputado estadual pelo PSD, em 07 de outubro de 2018, com 35.348 votos.

Delegado de carreira, concursado em 1994, Recalcatti atuou durante 23 anos em diversos municípios do Paraná, como União da Vitória e Araucária, e em várias Delegacias de Curitiba. Entre elas, as de Furtos e Roubos e de Homicídios. Conduziu diversas investigações de grande repercussão na sociedade paranaense, destacando-se como policial de linha de frente e muito ativo nas lides do ofício.

Ingressou na Polícia Civil em 1979, como agente investigador, carreira em que atuou durante 16 anos. Formado em Estudos Sociais pela PUC e em Direito pela UniCuritiba. É coautor do livro “Sequestro – Modus Operandi e Estudos de Casos” (Editora Nova Letra/2004), que assinou com  a advogada e escritora Noely Manfredini, falecida em 2012. Concorreu pela primeira vez a deputado estadual em 2010, pelo PV. Está filiado ao PSD desde 2011. Foi reeleito deputado estadual nas eleições de 7 de outubro de 2018, com 35.248 votos.

Rubens Recalcatti nasceu em 23 de outubro de 1948, em Videira (Ibiam), em Santa Catarina. Filho de família numerosa, de oito irmãos de sangue e quatro adotados, mudou-se ainda criança com os pais, Jacob e Maria, para Francisco Beltrão, no sudoeste do Paraná. Em plena época de colonização da região, seu pai atuou como delegado na cidade e participou da Revolução dos Colonos, de 1957. Seguindo o exemplo dele, Recalcatti prestou concurso para a Polícia Civil em 1979. Casou-se com Leonice em 1976, em Curitiba, com quem teve dois filhos, Filipe (cursando Direito) e Heloisa (formada em Psicologia). A família reside em Curitiba há 42 anos.