A mistura de álcool e direção resultou em um grave acidente na madrugada deste domingo (22), na Rua Rivadavia Fonseca de Macedo, bairro Cajuru, em Curitiba. O motorista de um ligeirinho invadiu uma casa e uma oficina e por pouco não provocou uma tragédia. O acidente foi por volta das 4h. “Dormíamos quando ouvimos uma explosão. Quando saímos na janela pra ver o que tinha acontecido, estava tudo destruído”, contou Cleiton Soares, 30 anos.

De acordo com o próprio morador da casa, o motorista do ligeirinho bateu em um Citröen na esquina, perdeu o controle e foi direto na residência em que ele mora com a esposa há pouco mais de um ano. “Ele quase nos matou. Foi por muito pouco”.

O ligeirinho só parou ao bater nas proteções erguidas já no estabelecimento ao lado da casa de Cleiton, que é uma oficina mecânica. O local foi um pouco menos destruído que a casa, mas mesmo assim o estrago foi grande.

Bafômetro

“Antes da chegada da viatura da Polícia Militar, eu perguntava pra ele (o motorista) se ele tinha bebido e ele dizia que não. Mas eu não me enganei. Quando o BPTran chegou, o teste do bafômetro apontou 0,83 miligramas de álcool, número que eu jamais vou esquecer”, disse Cleiton.

O motorista do ligeirinho foi preso em flagrante por dirigir alcoolizado e foi encaminhado à Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran). No ônibus haviam outros 10 passageiros, todos funcionários da empresa. Ninguém ficou ferido.

O prejuízo na casa de Cleiton, segundo avaliação do próprio morador, passa de 50 mil. O homem e a esposa moram no local há um ano e meio e tinham acabado de construir a residência. Já na oficina, a parede e o portão foram destruídos.

Funcionários que representam a empresa estiveram no local e conversaram com Cleiton. “Vamos na reunião marcada para acertarmos o que será feito. Esperamos que sejamos ressarcidos mesmo, porque nós poderíamos ter morrido aqui”, disse.

Fiança

Na Dedetran, os policiais confirmaram que o motorista foi detido e permanece preso. Por ser crime de trânsito e não ter provocado vítimas, foi estipulado fiança de aproximadamente R$ 900, valor que ainda não foi pago e por isso o homem continua preso.

O motorista, de acordo com os policiais do BPTran, perde a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e o direito de dirigir por, pelo menos, um ano. Neste caso, por se tratar de um acidente com o veículo de trabalho, o motorista provavelmente deve ser demitido da empresa.

Ressarcimento

Em nota, o Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) informou que representantes da CCD, empresa responsável pelo ligeirinho, estiveram no local para avaliar os estragos. Ficou marcada para segunda-feira (23) uma reunião com os moradores para que a empresa possa ressarcir os prejuízos. A CCD vai acompanhar toda a investigação para tomar as medidas cabíveis.