O motorista de um ônibus de turismo conseguiu evitar um acidente na madrugada desta quarta-feira (06), na BR-376, em Guaratuba, no litoral do Paraná. O veículo perdeu os freios e o condutor entrou na área de escape a 118 km/h até parar em segurança. Trinta e sete passageiros estavam no ônibus, sendo oito crianças. Ninguém saiu ferido.

Segundo a Arteris Sul, concessionário responsável pelo trecho, o ônibus de turismo fazia o trajeto de Belém (PA) para Florianópolis (SC). Na altura do km 669, próximo a “curva da santa”, o motorista percebeu que não conseguia mais utilizar os freios, mas tinha conhecimento da área de escape que fica dois quilômetros à frente.

Às 01h43, com o sinal de alerta ligado, entrou a 118 km/h na área de escape, percorrendo 115 metros no dispositivo até parar.  As equipes da concessionária foram imediatamente acionadas e prestaram assistência aos ocupantes do veículo. Eram 37 ocupantes, sendo oito crianças. Todos foram transportados até um posto de apoio para seguirem viagem com suporte da empresa responsável.

Esta foi a entrada de número 257 (veículos pesados) nesta área de escape e a sexta vez que foi utilizada por ônibus. O espaço foi inaugurado em 2011 e com a ocorrência desta madrugada já são 376 vidas salvas no dispositivo.

Litoral tem duas áreas de salvação

As áreas de escape são recursos de emergência e são destinados aos veículos pesados que por algum motivo precisam parar imediatamente para evitar um acidente na região de Serra do Mar. No trecho que liga Curitiba ao litoral e a Santa Catarina, pela BR-376, são dois espaços que já evitaram ao menos 310 colisões. Uma das áreas foi instalada em 2019 e contou com testes feitos por pilotos profissionais.

No último dia 10 de dezembro, Jerri Conrado dos Santos, 39 anos, dirigia um caminhão-tanque que acabou ficando sem os freios em dezembro de 2020. Segundo ele, a sensação é péssima e pensou somente na família e em Deus antes de entrar com tudo na área de escape. “Quando você percebe que o caminhão perdeu os freios, só dá tempo de pensar na família e em Deus”, assim relembrou o caminhoneiro.