Com atraso de quase uma hora para deixar as garagens, motoristas e cobradores de duas empresas de ônibus que operam em Curitiba, aprovaram, na manhã desta terça-feira (7), um indicativo de greve de ônibus em Curitiba. Segundo o Sindicato de Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região (Sindimoc), a ausência no pagamento do salário de novembro motivou a assembleia da categoria, que espera uma solução.

LEIA TAMBÉM:

>> Polícia caça em Curitiba criminosos revelados por investigações de alta complexidade

>> Trecho complicado da BR-376 tem licitação iniciada pra construção de viaduto na RMC. Entenda!

Caso os funcionários continuem sem receber em até 72 horas, ou seja, até sexta-feira (10), uma greve por tempo indeterminado pode ser iniciada em Curitiba, mas envolvendo apenas os trabalhadores da Auto Viação Mercês e CCD. No total, são quase 800 funcionários nas duas empresas.

De acordo com o presidente do Sindimoc, Anderson Teixeira, as linhas os ônibus tiveram pequenos atrasos nesta terça, com a assembleia realizada por volta das 5h da manhã. “O número maior de passageiros começa a partir das 6h e não prejudicou muito. A informação que tenho é que o pagamento de novembro não foi efetuado. O 13° foi pago com certo atraso, mas foi”, disse Teixeira.

De novo?

Essa não foi a primeira vez neste ano que uma paralisação por falta de pagamento ocorre em empresas do transporte público de Curitiba. Em outubro, São José Filial, CCD e Tamandaré Filial tiveram problemas para efetuar o salário dos colaboradores, mas acertaram poucos dias depois.

Web Stories

Estreias da semana

Filme com Sandra Bullock e especiais de Natal; confira o que chega na Netflix nesta semana

Fique por dentro

Matrix no CCXP: Confira as novidades sobre o quarto filme

Cuidado

O Cravo e a Rosa volta dia 06 de dezembro; conheça curiosidades sobre a novela

Quanto mais Vida, Melhor

Carmen acusa Paula pela morte de Celso