Uma mulher identificada como Andressa Alves, de aproximadamente 30 anos, foi encontrada morta por volta das 8h desta segunda-feira (10) em um terreno baldio na Rua Gertrudes Cruz de Andrade, no Pinheirinho.

No local, testemunhas disseram à Polícia Civil que a moça era companheira de Felipe Jarrocheski, conhecido como “Felipinho”, morto no mês passado a algumas quadras do local.

A mulher estava sem documentos e a perícia do Instituto de Criminalística apurou que ela foi morta com um tiro na nuca. De acordo com a Polícia Militar, a ligação de quem encontrou o corpo foi anônima e a pessoa não conhecia a vítima.

“Moradores de rua e usuários de drogas disseram que conheciam a mulher e apontaram algumas suspeitas, mas como são suspeitas, preferimos não comentar”, disse o cabo Dall Alba.

Durante o trabalho da Polícia Civil, uma mulher chegou a passou informações aos policiais e foi encaminhada à DH para prestar esclarecimentos. Os policiais não entraram em detalhes sobre as informações passadas pela mulher.

O corpo da vítima não foi identificado oficialmente, mas a perícia levantou que a mulher tinha quatro tatuagens. Nas costas os nomes Jade, Francis e Dudu. No pulso direito, “Tereza”. Na perna esquerda e na região lombar, duas tatuagens tribais.

O homem apontado como companheiro da vítima, Felipe Jarrocheski, vulgo “Felipinho”, 19 anos, era acusado de vários homicídios e foi executado com mais de dez tiros na noite do dia 27 de Fevereiro, na Rua Izaac Ferreira da Cruz.

As informações são que o jovem levou mais de 10 tiros. De acordo com a polícia, Felipe estava com mandado de prisão em aberto e seria preso no dia seguinte a sua morte em uma operação da Delegacia de Homicídios.