Desacerto comercial pode ser o motivo do assassinato de Carmelita Aparecida da Silva, de 40 anos. A mulher foi morta com 10 facadas no final da manhã desta terça-feira (18), na Rua Cuiabá, no bairro Cajuru.

Carmelita morava na Rua José Fabiano Barcik, a menos de cerca de 100 metros do local onde foi assassinada. Segundo testemunhas, era por volta das 10h30, quando ela foi chamada no portão de casa por um rapaz. Ela foi até a frente da casa para ver quem era e saiu de casa para conversar com o suspeito.

Os dois caminharam até a esquina, onde o rapaz aproveitou que ninguém estava por perto e a esfaqueou. A mulher foi atingida por, pelo menos, 10 facadas pelo rosto, barriga e no braço.

Ao se certificar de que Carmelita estava morta, o assassino fugiu. Por não haver ninguém perto na hora do crime, a forma utilizada para a fuga ficou incerta para a polícia, mas relatos de algumas pessoas dão conta de que ele teria subido em uma moto.

Desacerto

A primeira suspeita para o crime foi apontada ainda no local, por um familiar da mulher. A pessoa teria dito aos policiais que uma dívida de R$ 1 mil poderia ter motivado o assassinato. Por conta da informação passada, uma das hipóteses levantadas no local é de desacerto comercial.

Além do motivo do crime, o nome de um rapaz, identificado apenas por “Fábio” chegou a ser apontado como o suspeito. Policiais da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) agora esperam esclarecer o crime.