A agente de saúde Elisete Menin Arnold, de 58 anos, morreu após ser baleada três vezes no final da tarde desta sexta-feira (20) na Rua Deputado Pinheiro Júnior, no bairro Umbará, em Curitiba. Mesmo ferida, ela chegou a ser levada ao Hospital do Trabalhador (HT), mas não resistiu. A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) já investiga o crime e os policiais suspeitam que o autor do assassinato seja uma pessoa próxima a ela e não está descartada a possibilidade de feminicídio.

O crime aconteceu por volta das 17h, no momento em que Elisete chegava do trabalho. Ela foi abordada por um homem e atingida por ele com três disparos na cabeça e no pescoço. Às pressas, a mulher foi colocada numa ambulância do Siate e levada ao HT, mas morreu antes mesmo de chegar ao hospital.

+ Veja também: Linhas de ônibus terão rota alterada por obras na trincheira da Mário Tourinho

Testemunhas apontam um homem, que seria ex-marido, como autor da morte de Elisete. Isso porque informações, que ainda são investigadas pela DHPP dão conta de que ela teria uma medida protetiva contra este mesmo homem, que não aceitava o fim do relacionamento. De qualquer forma, a Polícia Civil ainda não divulgou o nome do suspeito pois continua no trabalho de investigação.

Elisete trabalhava na área da saúde e, atualmente, era funcionária da Prefeitura de Curitiba. O sepultamento da agente está programado para este sábado (21), no Cemitério Parque Senhor do Bonfim, em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Informações que possam ajudar a DHPP com as investigações, até mesmo sobre o paradeiro do possível autor do crime, podem ser passadas pelo 0800-643-1121.

Friozinho e chuva (sempre eles) deixam cinzento o sábado na região de Curitiba