Em reunião na manhã deste sábado (28), os taxistas de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, incluindo os do Aeroporto Afonso Pena, abriram mão de cobrar a taxa de retorno – valor cobrado em corridas para fora do município, já que os motoristas não podem embarcar passageiros fora da cidade. A taxa de retorno dos taxistas em São José dos Pinhais é de 30% do valor da corrida.

+ Leia mais: Após revelar que pensou em matar Gilmar Mendes, Janot é visto em bar de Brasília

Neste fim de semana os passageiros já começaram a pagar mais barato para viagens para fora de São José dos Pinhais. Mas, para isso, precisam informar o motorista de que querem o desconto, já que a isenção da taxa de retorno, por enquanto, é uma iniciativa dos próprios taxistas.

O projeto de isenção da taxa de retorno será votado na Câmara Municipal ainda nesta semana. Se aprovada a lei, todos taxímetros serão atualizados, deixando automaticamente de cobrar a taxa de retorno – oficialmente chamadas de bandeira 3 e 4.

+ Leia ainda: IML é invadido por grupo revoltado com a morte de homens em confronto com a PM

Segundo Eduardo Fernandes, consultor em sistemas de táxi, a decisão dos trabalhadores é uma reformulação para aumentar o número de corridas. “A categoria começa a entender que precisa de fato concorrer com os demais serviços”, diz Fernandes, referindo-se aos aplicativos de transporte, como Uber, 99 e Cabify.

Comparativo

Uma corrida o Aeroporto Afonso Pena até o Centro de Curitiba, por exemplo, custaria aproximadamente R$ 70 com a taxa de retorno. Sem a taxa de retorno, a corrida de táxi cai para R$ 49. Mesmo assim, segue mais caro do que uma corrida de aplicativo. No Uber e 99, por exemplo, a corrida custaria perto de R$ 30.

‘Uber dos ônibus’ devolve dinheiro e realoca usuários, após ser barrado pela Justiça no PR